Porto Alegre, domingo, 21 de Dezembro de 2014

  • 27/04/2014
  • 18:05
  • Atualização: 18:09

Fora de casa, São Paulo arranca empate no fim contra o Cruzeiro

Júlio Baptista colocou Raposa em vantagem, mas Antonio Carlos decretou igualdade no jogo

  • Comentários
  • Lancepress

O jogo deste domingo, em Uberlândia, no estádio Parque do Sabiá, tinha tudo para ser um excelente jogo, mas não passou de um magro 1 a 1 entre Cruzeiro e São Paulo. O confronto que costumava ter algum atrativo a mais para o público, sendo os recordes quebrados por Rogério, nos gols de falta, recuperação para fugir de rebaixamento ou confrontos decisivos na Libertadores, dessa vez não aconteceu.

Ano passado, o São Paulo lutava contra o rebaixamento e o jogo contra o Cruzeiro foi crucial para a recuperação do Tricolor. Na ocasião, a equipe paulista ganhou por 2 a 0 dentro do Mineirão. Neste ano, o jogo no começo do Campeonato Brasileiro não tinha grande atrativo para as equipes, contudo, poderia ajudar a conseguir boa colocação na tabela antes da parada para a Copa do Mundo.

Na primeira etapa, a equipe do São Paulo até esboçou uma marcação pressão, mas quem teve o domínio inicial da partida foi a equipe do Cruzeiro. A equipe de Minas deu alguns chutes ao gol de Rogério Ceni com Willian e Julio Baptista, porém, nenhuma jogada com grande perigo. O Tricolor, que apareceu poucas vezes no campo de ataque, teve seu primeiro chute ao 15 minutos, com o jovem Boschilia.

Ainda com 16 minutos, Douglas, com dores na coxa, deu lugar à Luis Ricardo, não modificando o esquema de jogo. Esquema este, que ainda vem sendo testato por Muricy Ramalho, já que deu certo nas vitórias por 3 a 0, contra Botafogo e CSA-AL e nem tão certo na derrota para o CRB-AL, por 2 a 1 na Copa do Brasil. Poucas finalizações e alguns passes errados caracterizaram o primeiro tempo: 0 a 0, sem grandes emoções e de ritmo lento.

Já o segundo tempo, que parecia começar do mesmo jeito, teve a Raposa abrindo o placar logo aos cinco minutos, com Julio Baptista, em falta frontal a área, cometida por Rodrigo Caio em cima de Willian. Tendo a vantagem do placar, o Cruzeiro continuou fazendo seu jogo de passes, chutes de longa distância, sem se arriscar muito.

O São Paulo não conseguia fazer jogadas e entrar na fechada zaga cruzeirense, nem a entrada de Osvaldo, no lugar de Boschilia, conseguiu dar velocidade ao time. Mas no final do jogo, em lance de bola parada, numa falta lateral cobrada por Osvaldo, Antônio Carlos, o zagueiro artilheiro conseguiu empatar o jogo e livrar o Tricolor de conhecer a primeira derrota na competição.

Bookmark and Share