Correio do Povo

Porto Alegre, 2 de Setembro de 2014


Porto Alegre
Agora
15ºC
Amanhã
14º 22º


Faça sua Busca


Esportes > Futebol > Liga dos Campeões

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

30/04/2014 17:38 - Atualizado em 30/04/2014 17:46

Atlético bate Chelsea e garante final espanhola na Liga dos Campeões

Time de Madrid volta à decisão da principal competição europeia após 40 anos

Atlético bateu o Chelsea por 3 a 1 em Londres
Crédito: Adrian Dennis / AFP / CP

Foi a classificação da persistência, de um time que não desistiu e que possui a alma sul-americana de seu treinador. A vitória incontestável por 3 a 1 do Atlético de Madrid sobre o Chelsea, em pleno Stamford Bridge, premiou o esforçado clube espanhol com a final da Liga dos Campeões. O Atleti está na ribalta do futebol europeu depois de 40 anos da malograda decisão de 1974, perdida para o Bayern de Munique.

Antes da principal competição europeia começar poucos apostavam qualquer coisa no sucesso do Atlético de Madrid. Com um estilo brigador, à cara de seu técnico Diego Simeone, este time está surpreendendo a todos. Não só pelo que faz na Liga dos Campões, mas também pela campanha no Campeonato Espanhol, onde poderá quebrar o revezamento entre Real Madrid e Barcelona.

Após empate em 0 a 0 no primeiro jogo, no Vicente Calderón, era do Chelsea a responsabilidade de buscar a vitória. Algo curioso para uma equipe que nesta temporada se destacou pelo seu jogo defensivista.

Apesar de precisar da vitória, Mourinho não abdicou de suas raízes. Bloqueou a entrada da área com Cahill, Terry, David Luiz e Ramires. Isso sem falar na presença de outros elementos defensivos, como Ivanovic, Ashley Cole e Willian. Nitidamente a ideia era conseguir um gol, esperar o tempo passar e, em determinado momento, parar o famoso "ônibus azul" em algum lugar.

Mas Simeone tinha outros planos. O Chelsea até saiu na frente, quando Fernando Torres bateu cruzado após jogada que teve como ponto forte a insistência de Willian. O atacante espanhol não comemorou, em respeito ao ex-clube, e Mourinho também não. Quem sabe para fazer tipo, ou quem sabe porque entendia que nada estava definido ainda.

Era muito cedo para o "ônibus" aparecer, e o Atlético de Madrid tratou de se certificar que ele não passaria em Stamford Bridge desta vez. Tiago fez um belo lançamento, Juanfran acreditou até o fim na jogada e deu a deixa para Adrián López, dentro da área, empatar.

No segundo tempo, Mourinho se viu obrigado a soltar o seu time. Eto'o entrou no lugar de Ashley Cole. Ironicamente, cinco minutos depois de sua entrada, o camaronês virou o vilão ao derrubar Diego Costa dentro da área. O hispano-brasileiro soltou a bomba e desmontou de vez o Chelsea ao colocar o Atleti em vantagem.

A sorte estava também do lado espanhol. Fato comprovado quando a cabeçada certeira de David Luiz explodiu na trave de Courtois. Do outro lado a trave acabou ajudando Arda Turan, quando a bola cabeceada pelo turco acertou o poste de Schwarzer e o próprio camisa 10 completou para matar o jogo.

A estratégia de Mourinho, de deixar o tempo passar e vencer o adversário de maneira cirúrgica, não funcionou nesta quarta-feira. Se impôs o estilo de Diego Simeone, de um time que conhece suas limitações, mas que não desiste nunca.

Agora a hora da verdade será em Lisboa, no dia 24 de maio. O Atlético de Madrid vai encarar o rival Real Madrid, o primo mais rico e famoso da capital espanhola. Os merengues estão mais acostumados a estes momentos. No entanto, mais do que nunca, o coração colchonero poderá fazer a diferença.

Bookmark and Share

Fonte: Lancepress






O que você deseja fazer?


Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.