Correio do Povo

Porto Alegre, 28 de Julho de 2014


Porto Alegre
Agora
12ºC
Amanhã
13º 25º


Faça sua Busca


Esportes > Futebol > Brasileirão

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

04/05/2014 20:46

Goiás vence o Atlético-MG e iguala líderes

Esmeraldino chegou aos mesmos sente pontos de Corinthians, Cruzeiro e Inter

O torcedor atleticano voltou ao Independência após a eliminação do Galo para o Nacional de Medellín, no jogo do meio de semana pela Libertadores. Com um Independência visivelmente mais vazio, a torcidaviu Levir Culpi escalar um time misto em campo e passou raiva mais uma vez no Independência. Sem inspiração, o Atlético-MG foi derrotado para o Goiás por 1 a 0 e segue com apenas um ponto no Brasileirão. O time goiano chega aos mesmos sete dos líderes Corinthians, Cruzeiro e Inter.

Atuando dentro de seus domínios, o Atlético-MG fez jus ao campo de jogo e dominou a maior parte do primeiro tempo. Pelo menos nos 25 minutos iniciais, o panorama do jogo foi de ataque contra defesa. O Goiás se fechou e deixou seus laterais responsáveis apenas pela marcação de Marion e Fernandinho. No meio de campo, cinco homens congestionavam a faixa central, o que forçava o Atlético a exercitar a paciência e trabalhar melhor as jogadas, se movimentar melhor e buscar lançamentos mais longos para furar o ferrolho esmeraldino. A primeira boa chance saiu pela esquerda. Em jogada de Marion, Jô escorou de cabeça para Réver. O zagueiro emendou uma bicicleta que triscou o travessão de Renan.

Por precaução de Levir Culpi e do próprio Jô, o atacante deixou o campo de jogo aos 16 minutos, por conta de uma dor no joelho. A entrada de Dátolo manteve o esquema tático do Galo, mas trouxe Guilherme para a função de centroavante enquanto o argentino se posicionou no meio, organizando as jogadas. Mas a retranca do Goiás continuou, e o Atlético-MG, ainda sem se movimentar o bastante, seguiu sem oferecer novos perigos ao gol de Renan. Outra carência dos anfitriões foi a ineficiência dos laterais, pouco frequentes no quesito linha de fundo.

Jogando por uma bola, o Goiás chegou bem em dois lances seguidos. E mais uma vez, o Atlético recorreu a Victor para não ser vazado. Nas duas oportunidades, o goleiro encaixou firme a finalização de Ramon, uma de fora da área e a outra pela diagonal, mas com chute fraco.

Apesar de sacar um lateral-direito no intervalo, o Goiás melhorou sua marcação pelos flancos. O Atlético-MG que já encontrava dificuldades, diminuiu ainda mais o ímpeto, principalmente pelos lados. Faltava caprichar no último passe, quase sempre impreciso e sem qualidade. Pelo meio, o time não tinha a quem recorrer para criar. Fernandinho era um dos poucos que chamava responsabilidade, mas sozinho, pouco fazia.

A entrada de André e Rosinei deixou o time mais ofensivo, embora não significasse muita coisa. Mais uma vez, a lateral demonstrou seu ponto fraco. Pelo lado direito do Goiás, saiu o cruzamento para a área. A zaga cortou mal e David pegou de fora, bonito, sem chances para Victor, 1 a 0 Goiás.

Não fosse Victor, em outras duas chances, a derrota simples se tornaria mais elástica. O time da casa ainda teve uma chance com Fernandinho, que carimbou a trave. Mas já era tarde demais. Aos gritos de olé e muita vaia, o Galo deixou o Horto com a derrota por 1 a 0.

Bookmark and Share

Fonte: Lancepress






O que você deseja fazer?


Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.