Correio do Povo

Porto Alegre, 17 de Setembro de 2014


Porto Alegre
Agora
19ºC
Amanhã
18º 26º


Faça sua Busca


Esportes

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

09/05/2014 09:39 - Atualizado em 09/05/2014 10:10

Especialista em balística alega erros no caso Pistorius

Wollie Wolmarans negou que namorada do atleta estava em posição defensiva ao ser alvejada

Especialista em balística alega erros em ordem de tiros no caso Pistorius<br /><b>Crédito: </b> Herman Verwey / Pool / AFP / CP
Especialista em balística alega erros em ordem de tiros no caso Pistorius
Crédito: Herman Verwey / Pool / AFP / CP
Especialista em balística alega erros em ordem de tiros no caso Pistorius
Crédito: Herman Verwey / Pool / AFP / CP

Um especialista em balística que testemunhou para a defesa indicou nesta sexta-feira no julgamento
de Oscar Pistorius
que Reeva Steenkamp se dirigia à porta do banheiro quando o atleta sul-africano a matou, negando que ela estivesse em posição de defesa, como a polícia havia indicado. Wollie Wolmarans afirmou que as balas que mataram a namorada do sul-africano não foram disparadas na ordem indicada pela polícia balística.

Para a defesa, os movimentos finais descritos pelo especialista demonstram que Pistorius disparou contra a jovem de 29 anos ao confundi-la com um ladrão. Já a acusação queria demonstrar que ele sabia que ela estava no banheiro e que ainda assim atirou. Wolmarans declarou que Steenkamp estava perto da porta e se inclinava levemente para a frente quando o primeiro disparo a alvejou no quadril.

As balas seguintes atingiram seu braço e a mão, e a última a cabeça, quando estava caindo de costas. O testemunho de Wolmarans contradiz as alegações da polícia balística, que havia indicado que um projétil ricocheteou na parede e feriu a vítima nas costas e que a última bala atingiu a mão e a cabeça, quando estava sentada em posição de defesa.

Segundo o especialista, a mesma bala não poderia tê-la ferido na mão e na cabeça, já que, caso isso tivesse ocorrido, haveria tecido do cérebro na mão. "O tecido não iria contra a parede, mas ao interior da mão", declarou Wolmarans. Ele acrescentou que os ferimentos nas costas eram "consistentes com uma batida em uma superfície dura", causados pela queda de Steenkamp contra um revisteiro de madeira no banheiro.

O campeão paralímpico diz ter matado a namorada por acidente, pensando que um ladrão havia entrado em sua casa em Pretória. Já a acusação considera que Pistorius, de 27 anos, matou a namorada após uma briga.

Pistorius vende a casa do crime

A casa do atleta onde ocorreu o crime, em Pretória, foi vendida, indicou nesta sexta-feira a agente imobiliária encarregada da venda. O atleta havia colocado o imóvel à venda no fim de março para cobrir os gastos de seu  julgamento, que começou há dois meses e que prosseguirá pelo menos até a próxima semana. "Temos um comprador e o processo de transferência (do título de propriedade) agora está em andamento", declarou Ansie Louw, sem fornecer nenhum detalhe sobre a identidade do comprador.

A agente imobiliária não quis informar o preço da venda. Em março ela havia indicado que esperava poder vender a casa por ao menos 5 milhões de rands (350.000 euros ou 480.000 dólares). A venda ocorreu por meio de um leilão. "Examinamos todas as ofertas. (...) Aceitamos uma das ofertas", indicou Louw nesta sexta-feira. "Não posso tornar os detalhes públicos", disse.

Bookmark and Share


Fonte: AFP






O que você deseja fazer?


Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.