Porto Alegre, terça-feira, 21 de Outubro de 2014

  • 13/05/2014
  • 09:12
  • Atualização: 09:16

Clima do Mundial começa a ganhar corpo nas cidades-sede

Obras no Brasil ainda precisam ser concluídas e algumas delas ficarão prontas somente após Copa

Clima do Mundial começa a ganhar corpo nas cidades-sede | Foto: Christophe Simon / AFP / CP

Clima do Mundial começa a ganhar corpo nas cidades-sede | Foto: Christophe Simon / AFP / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

O próximo dia 12 de junho, a partir das 17h, Brasil e Croácia darão o pontapé inicial para a Copa do Mundo. Faltando exatamente 30 dias para o Mundial, a competição da Fifa divide opiniões entre os brasileiros. A rejeição ao torneio nunca foi tão evidente, mas a expectativa é de que, na hora em que a bola rolar nos estádios das 12 cidades-sede, o país entre de vez no clima da Copa.

Ainda há muitas obras para serem concluídas. Alguns estádios, como a nova arena do Corinthians - palco da abertura -, não foram entregues para a Fifa. No que diz respeito às obras de infraestrutura, a maioria delas só ficará pronta após a Copa. O discurso dos governos, comprovado semana passada em um evento sobre o Plano Operacional de Porto Alegre para a Copa, é de que "as obras essenciais estarão concluídas a tempo".

A maior preocupação da Fifa sempre foi com os estádios. O secretário-geral da entidade, Jérôme Valcke, que por vezes criticou a preparação brasileira, mudou o tom. "Os torcedores podem esperar um grande torneio", ressaltou. Pelo menos dentro de campo, há convicção de que a Copa no Brasil terá êxito. Somente na Capital, cerca de 70 mil turistas estrangeiros deverão desembarcar para acompanhar os jogos no Beira-Rio. "A segurança é um problema em todas as partes do mundo. Também depende da maneira como você se comporta", disse Valcke, referindo-se à questão da segurança nas cidades-sede.

Valcke comentou que os turistas devem abraçar o Brasil como ele é. "Curta o Brasil do jeito que o Brasil é. Se, em alguma cidade, disserem que você não deve andar por certos lugares, é o que você deveria fazer. Existem áreas e partes da cidade às quais você não irá. Não é só no Brasil, em todo o mundo é assim", acrescentou o dirigente.

Apesar do otimismo, a Fifa ainda terá que aparar várias arestas em um mês. O entorno dos estádios é algo que vem preocupando a entidade. Porto Alegre é um exemplo onde os entulhos estão causando divergências entre o Inter e o governo municipal. "Ainda temos trabalho a fazer fora do estádio e nas redondezas. É importante trabalhar com as cidades e os Estados, porque são eles os responsáveis por essas áreas", completou Valcke.

Os estádios da Copa

Dos 12 estádios que receberão partidas da Copa do Mundo do Brasil, três ainda estão em obras: Itaquerão, Arena da Baixada e Arena Pantanal. Já estão concluídos o Beira-Rio, a Arena da Amazônia, em Manaus, a Arena das Dunas, em Natal, o Mané Garrincha, em Brasília, Maracanã, no Rio de Janeiro, Mineirão (BH), Castelão, em Fortaleza, a Arena Pernambuco, em Recife, e Arena Fonte Nova, em Salvador.

Bookmark and Share