Porto Alegre, sexta-feira, 24 de Outubro de 2014

  • 13/05/2014
  • 20:39
  • Atualização: 20:58

Comércio autorizado no entorno do Beira-Rio não terá restrições durante a Copa

Reunião definiu fiscalização para coibir uso indevido da marca Fifa e entrada no estádio com alimentos

  • Comentários
  • Samuel Vettori/Rádio Guaíba

Uma reunião entre representantes da Fifa e da Defensoria Pública do Estado definiu, nesta terça-feira, o que vai e o que não vai ser tolerado dentro e no entorno do estádio Beira-Rio durante a Copa do Mundo. De acordo com o defensor público geral do Estado, Nilton Leonel Arnecke Maria, foi descartada a restrição de comércio e de circulação de pessoas com marcas estranhas no evento e ao redor do Beira-Rio. A área Fifa compreende as ruas A, B, Padre Cacique e Edvaldo Pereira Paiva.

O gerente do escritório em Porto Alegre do Comitê Organizador Local (COL) da Fifa para a Copa de 2014 representou a entidade e explicou, entretanto, que não vai ser permitido entrar no estádio com alimentos ou bebida. Tudo deve ser adquirido no Beira-Rio, explicou Paulo André Jukoski da Silva, o ex-jogador de vôlei Paulão.

Já as roupas e acessórios com marcas que não são as patrocinadoras do evento serão permitidas dentro e fora do local. Não vai ser autorizado, por exemplo, uma ação de marketing com a distribuição de bonés lembrando uma empresa, esclareceu o defensor público geral. Mas não vai haver restrição a camisetas da dupla Gre-Nal. Nelas, o Banrisul aparece como patrocinador, embora não tenha apoiado o Mundial.

Fora do estádio, na área Fifa, também devem ser coibidas as ações de marketing. O comércio de ambulantes, desde que autorizados pelas autoridades locais, não vai ser barrado. Já o uso indevido das marcas Fifa e parceiras prevê uma restrição mais ampla e vai ser fiscalizado pela entidade. Usar o nome da organização em uma promoção de lanche ou bebida, por exemplo, não é permitido. A punição pode ser detenção de três meses a um ano.


Bookmark and Share