Correio do Povo

Porto Alegre, 29 de Agosto de 2014


Porto Alegre
Agora
13ºC
Amanhã
16º 27º


Faça sua Busca


Esportes > Futebol

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

15/05/2014 14:06

Santa Cruz perde cinco mandos e Arruda segue interditado por arremesso de vaso

Liberação do estádio ficará a cargo da CBF

Por causa do arremesso de vaso sanitário, que matou um torcedor, o Santa Cruz foi punido nesta quinta-feira pelo STJD com cinco perdas de mando de campo, a serem cumpridas com portões fechados. Além disso, o Tribunal decidiu, em primeira instância, manter a interdição do Arruda, deixando a cargo da CBF liberar o estádio, e aplicar multa de R$ 60 mil.

Como o clube já cumpriu um dos cinco jogos em compromisso pela Copa do Brasil, vai ter que pagar quatro partidas da pena. No entanto, os auditores determinaram que a interdição do estádio Arruda só será desfeita com o aval da CBF. Com isso, se a entidade que gere o futebol brasileiro não liberar o Arruda, o Santa Cruz poderá ter torcedores em seus jogos após as quatro partidas, mas terá que mandá-las em outro estádio. “Quem interditou, que desinterdite o Arruda. A interdição foi uma decisão administrativa da CBF”, disse o presidente da Quarta Comissão Disciplinar, Paulo Bracks.

“A pena desse processo só não foi mais alta porque temos três envolvidos presos. O clube, com apoio da Federação, tentou reprimir o que poderia ser reprimido. A vida não volta, mas isso pesou. E não vamos falar que o clube foi vítima quando uma pessoa morreu. Faltou segurança, faltou fiscalização. E aí errou o grande Santa Cruz”, ressaltou Bracks.

“O Santa Cruz tem culpa sim. Três torcedores entram no estádio, arremessam o vaso e saem tranquilamente. Os dois vasos sanitários estavam soltos, segundo relatório da polícia. Os rapazes nem chegaram a se cortar”, acrescentou o auditor relator do processo, Paulo Wanderley.

No julgamento, o clube chamou o presidente da Federação Pernambucana, Evandro Carvalho, para ser testemunha. A defesa do Santa, dividida entre os advogados Osvaldo Sestário e Pedro Avelino, argumentou que o clube fez tudo o possível para propiciar a identificação dos responsáveis. Mas o Tribunal não entendeu que o clube deveria passar impune.


O arremesso de vaso sanitário aconteceu na partida do Santa contra o Paraná, pela Série B. O objeto atingiu em cheio Paulo Ricardo Gomes, de 26 anos, torcedor do Sport, que foi apoiar os paranistas. Ele morreu na calçada do Arruda.

Bookmark and Share

Fonte: Lancepress






O que você deseja fazer?


Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.