Porto Alegre, sábado, 25 de Outubro de 2014

  • 20/05/2014
  • 19:16
  • Atualização: 19:20

Uefa pune Manchester City e PSG por desrespeito ao Fair Play Financeiro

Clubes terão de pagar cerca de R$ 182 milhões à entidade e só poderão inscrever 21 jogadores na Liga dos Campeões

PSG é o atual bicampeão francês | Foto: Frank Fife / AFP / CP

PSG é o atual bicampeão francês | Foto: Frank Fife / AFP / CP

  • Comentários
  • Lancepress

Campeões nacionais pelo bom futebol apresentado dentro de campo, o inglês Manchester City e o francês PSG não apresentaram o mesmo desempenho fora das quatro linhas. Os dois clubes europeus foram punidos pela Uefa por desrespeitarem o Fair Play Financeiro, regra imposta pela entidade em 2011 que visa evitar que os times gastem mais do que arrecadam.

Tanto o Manchester City quanto o PSG terão que desembolsar o equivalente a R$ 182 milhões para a Uefa, e só poderão inscrever 21 jogadores profissionais na próxima temporada da Liga dos Campeões, sendo que a regra permite 25. A punição, entretanto, já era especulada pela mídia europeia desde 2013 e é um aviso da entidade aos dois clubes, que se tornaram gigantes da bola após serem adquiridos pelo dinheiro árabe.

No final de 2008, o City foi comprado pelo grupo United Abu Dhabi, dos Emirados Árabes, e em 2011 o PSG passou para as mãos da Autoridade de Investimento do Qatar (QIA), que pertence ao governo desse outro país árabe.

“Dessa vez, a Uefa preferiu só dar um recado, pois a pena poderia ser mais dura com esses clubes”, disse o advogado Eduardo Carlezzo, especialista em direito esportivo, citando uma possível eliminação da Liga das Campeões caso as infrações financeiras se repitam.

Segundo ele, os contratos de patrocínio de ambos os clubes chegaram a sofrer ser reajustados por ultrapassar os valores de mercado. “Para os clubes, essa multa não foi novidade. Tanto o City, com o acordo com a Etihad Airways, quanto o PSG, com a parceria com o governo do Qatar, já tinham sido avisados dessa punição”, disse Carlezzo.

Após serem notificados da multa, ambos os clubes publicaram comentários sobre o caso em seus sites.

De acordo com o PSG, o clube “decidiu acatar as medidas que foram impostas” apesar do “imenso prejuízo que tais sanções possam representar na tentativa do time de competir em iguais condições com as melhores equipes europeias”.

O clube francês lamenta ainda o fato da parceria com o governo do Qatar ter sido reconhecido pela Uefa mas que o valor integral do contrato não foi levando em consideração pela entidade europeia.

Já o Manchester City aponta que ”gostaria de apresentar sua posição através das vias de recurso que lhe são cabíveis”, entretanto decidiu acatar a punição por ser a melhor decisão levando em consideração "os fãs, os parceiros e as operações comerciais do clube". O clube inglês disse ainda estar insatisfeito com a pena aplicada pela Uefa por abranger jogadores adquiridos até 2010, antes das regras terem entrado em vigor.

Bookmark and Share