Porto Alegre, quarta-feira, 22 de Outubro de 2014

  • 22/05/2014
  • 16:03
  • Atualização: 16:19

Um dia após críticas de Valcke, Fifa assume controle do Beira-Rio

A partir desta quinta, a entidade providencia adaptações necessárias para receber os jogos da Copa

A partir desta quinta, a entidade providencia adaptações necessárias para receber os jogos da Copa | Foto: Divulgação Inter / CP

A partir desta quinta, a entidade providencia adaptações necessárias para receber os jogos da Copa | Foto: Divulgação Inter / CP

  • Comentários
  • Lucas Rivas / Rádio Guaíba

O Inter repassou à Fifa o controle do Beira-Rio nesta quinta-feira. A partir de hoje, a entidade providencia as adaptações necessárias para receber os estádio cinco jogos da Copa do Mundo. Além da instalação de grades no entorno, a Fifa também vai intensificar os trabalhos para garantir as transmissões dos jogos, por exemplo.

A Fifa assume o Beira-Rio um dia após o secretário-geral, Jérôme Valcke, ter visitado o estádio. Depois de vistoriar as instalações internas do Beiro-Rio, Valcke criticou, via Twitter, o atual cenário de obras para a Copa do Mundo em Porto Alegre. O dirigente considerou que, apesar de os trabalhos para a conclusão das estruturas temporárias ainda estarem em andamento, muita coisa ainda deve ser feita. “Segue o trabalho para a entrega das estruturas complementares no Beira-Rio. Mas ainda há muito a fazer em Porto Alegre”, postou Valcke. “Não podemos perder um minuto ou a qualidade para fãs e equipes de TV será comprometida na Copa 2014”, escreveu o dirigente.

O gerente do escritório em Porto Alegre do Comitê Organizador Local (COL) da Copa de 2014, Paulo André Jukoski da Silva, o Paulão, preferiu não se manifestar sobre as críticas de Jérôme Valcke. “Temos que baixar a cabeça e trabalhar. Há muito o que fazer”, reconheceu.

A data de “entrega das chaves” do Beira-Rio para Fifa, ao menos, ocorreu dentro do prazo estabelecido. Agora, os comitês organizadores, em parceria com o clube gaúcho, devem levantar as estruturas temporárias que devem estar em funcionamento até o dia 31. Até o momento, o Inter ainda não listou quais são as 12 empresas que vão bancar as temporárias, orçadas em R$ 25 milhões, em troca de isenção fiscal.

Bookmark and Share