Correio do Povo

Porto Alegre, 21 de Agosto de 2014


Porto Alegre
Agora
12ºC
Amanhã
14º 28º


Faça sua Busca


Esportes > Futebol > Inter

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

28/05/2014 14:52 - Atualizado em 28/05/2014 18:47

Luque fala em “seguir os passos” de D’Alessandro no Inter

Com a camisa 18, atacante argentino foi apresentado no CT colorado

Luque foi apresentado como novo reforço do Inter
Crédito: Cristiano Munari / Especial CP

O atacante Carlos Luque foi apresentado na tarde desta quarta-feira como novo reforço do Inter para a disputa do Brasileirão e da Copa do Brasil. O jogador de 21 anos, que só poderá estrear após a Copa do Mundo, ressaltou seu desejo de confirmar as expectativas criadas em torno da sua contratação e falou sobre o desejo de repetir o sucesso de D’Alessandro com a camisa colorada.

“Conversei com o D’Alessandro. Ele disse para eu vir tranquilo. O futebol brasileiro é lindo, rápido. Vou me esforçar para que a adaptação seja a mais rápida possível. Conheço, além do D’Alessandro, jogadores que já atuaram aqui, como Scocco, Forlán e Guiñazu. Tomara que eu possa seguir os passos do D’Alessandro e do Guiñazu”, projetou.

Luque falou também sobre a comparação feita na Argentina de seu futebol com o de Cláudio Caniggia, ídolo do país vizinho nos anos 90. Ao ser questionado sobre o assunto, ele abriu um sorriso e não escondeu sua satisfação. “Caniggia foi um grande jogador. Um craque. Tomara que venha a se confirmar (a comparação)”, disse o atleta que vai vestir a camisa 18 do Inter.

Luque admitiu que conhece pouco do futebol brasileiro. O atacante, no entanto, afirmou que sabe da grandeza do Inter, mas que acompanhou os jogos do clube apenas em disputas de Libertadores da América. “Lá na Argentina não dá para ver os jogos do Campeonato Brasileiro. Mas conheço a história do clube. O Inter é muito respeitado na Argentina.Todos falam da grandeza do clube, afirmou.

Luque ressaltou que a velocidade é mesmo sua principal qualidade. Sobre os poucos gols – fez apenas dois no último Campeonato Argentino –, ele afirmou que sua característica é mais de criar jogadas. “Eu comecei jogando no meio-campo. Minha formação era na armação. Agora vinha jogando no ataque. Estou à disposição do treinador para jogar onde ele achar melhor”, encerrou.

Bookmark and Share

Fonte: Correio do Povo






O que você deseja fazer?


Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.