Porto Alegre, quinta-feira, 27 de Novembro de 2014

  • 31/05/2014
  • 10:00
  • Atualização: 10:10

Desconhecido em 2010, David Luiz vai à Copa com "boom" de popularidade

Zagueiro mais caro do mundo só perde para Neymar no assédio na Granja Comary

Zagueiro mais caro da história, David Luiz vê sua popularidade crescer | Foto: Gaspar Nóbrega / VIPCOMM / CP

Zagueiro mais caro da história, David Luiz vê sua popularidade crescer | Foto: Gaspar Nóbrega / VIPCOMM / CP

  • Comentários
  • Lancepress

“Por isso que eu gosto desse cara”, “é o mais simpático“, “ele é demais, né”... Foram apenas alguns dos comentários feitos quando David Luiz, por quase dez minutos, parou para atender fãs na grade que já virou local de atendimento dos jogadores ao moradores do condomínio anexo à Granja Comary após os treinos dessa sexta. A popularidade do atleta cresce. Não à toa, tornou-se o zagueiro mais caro da história, com os cerca de R$ 140 milhões que o PSG (FRA) pagou ao Chelsea (ING) para ter o brasileiro após a Copa de 2014.

Novo xodó dos torcedores, David Luiz, há quatro anos, era pouco conhecido no Brasil. Enquanto seu hoje parceiro de zaga Thiago Silva era reserva na Copa do Mundo da África do Sul, David jogava no Benfica (POR), onde foi ídolo. A estreia na Seleção Brasileira só aconteceu em agosto de 2010, depois do Mundial. Hoje, já é estrela, a ponto de tornar-se garoto-propaganda dos mais vistos atualmente na televisão: tem contratos com Pepsi, TAM, Nike, Vivo e Unimed. São 2,4 milhões de seguidores no Twitter, e outros 1,4 milhão no Instagram, que usa sempre.

"Eu construi minha carreira na Europa. São quase nove anos fora, mas o sonho maior sempre foi representar minha nação. Sempre senti falta de tocar no coração dos brasileiros. Posso dizer que esse carinho é recíproco. Quando tenho oportunidades de retribuir o que fazem fora do campo, tento retribuir", afirmou o zagueiro.

Após o aquecimento, cerca de 50 torcedores gritavam pelos atletas na beira do campo. No local onde poucos dos muitos jornalistas credenciados têm acesso, havia histeria de crianças, e até senhoras, quando o atleta foi o único a levantar-se para atender pedidos de “vem, David!”. David Luiz voltou à torcida já ao anoitecer, após o treino da tarde, quando vários outros jogadores fizeram o mesmo, inclusive Neymar.

“Ele é bonitinho”, afirmou uma mulher. “É a senhora”, respondeu ele, sorrindo. Assinou camisas e mais camisas, e deixou sua assinatura até mesmo nas lentes da máquina fotográfica da reportagem. O zagueiro fez caretas e piadas na entrevista coletiva, como já é costume. No campo, a seriedade em busca do hexa é a ordem.

Bate-Bola:


Em que a experiência na Europa pesa numa Copa do Mundo?
David Luiz: É claro que atuar fora por muitos anos, você tem a oportunidade de enfrentar os melhores, com escolas diferentes, você eleva seu nível e dá bagagem para a Seleção também. Numa Copa, você vai enfrentar os mesmos adversários, mas com uma magia diferente. Representar o país... Você pode jogar por vários clubes, mas não é igual. Somos privilegiados.

Dizem que as ruas não estão tão pintadas como antigamente... Você vê o povo mobilizado?
David Luiz: A minha rua está pintadinha. Minha mãe pintou tudo (risos). Eu vejo um povo apaixonado pela Seleção. Em todos lugares que a gente passou foi muito bem tratado, senti um amor. Sobre a mobilização, com certeza vão nos apoiar. Chegou a hora. Estamos juntos nessa, o Brasil é um só. O sonho está aí.

Você é sempre divertido...
David Luiz: Meus pais me ensinaram a agradecer mais do que se queixar. Sou abençoado. Tenho essa oportunidade de representar 200 milhões de pessoas. Eu sinto muita saudade de morar aqui. Por que ficar triste? Tem hora de brincar, de tentar ser engraçado (risos), de ser sério.

Bookmark and Share