Correio do Povo

Porto Alegre, 21 de Agosto de 2014


Porto Alegre
Agora
15ºC
Amanhã
14º 28º


Faça sua Busca


Esportes > Futebol > Inter

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

07/06/2014 10:54 - Atualizado em 07/06/2014 14:13

Luigi: “Fernandão foi um divisor de águas no Inter"

Mandatário colorado e ex-presidente Fernando Carvalho deverão representar o Inter nas cerimônias fúnebres

Vitório Piffero (e) e Giovanni Luigi (d) observam Fernandão assinar contrato com o Inter<br /><b>Crédito: </b> Marcelo Campos/Vipcomm / CP Memória
Vitório Piffero (e) e Giovanni Luigi (d) observam Fernandão assinar contrato com o Inter
Crédito: Marcelo Campos/Vipcomm / CP Memória
Vitório Piffero (e) e Giovanni Luigi (d) observam Fernandão assinar contrato com o Inter
Crédito: Marcelo Campos/Vipcomm / CP Memória

O presidente do Inter, Giovanni Luigi, considera as passagens de Fernandão pelo Inter como um “divisor de águas” na história do clube. Para o dirigente, o ex-atacante e ex-treinador, que morreu em um acidente em Aruanã, no interior de Goiás, na madrugada de sábado, foi fundamental na construção da trajetória vitoriosa dos últimos anos. Não só como jogador, mas como pessoa.

“É um momento muito triste para todos nós colorados. Pela surpresa, pela idade, por perder uma pessoa mais do que o nosso capitão do Mundial e da Libertadores. Uma pessoa que se tornou amigo de todas as pessoas que conviveram com ele. Acabamos lembrando da chegada dele, da convivência, do retorno como diretor e depois como treinador. Ele era uma pessoa diferente na inteligência, na postura, na liderança natural que tinha e na compreensão que tinha para jogar futebol. Chegou ao clube e assumiu o vestiário. Uma pessoa acima do normal. Uma referência, um divisor de águas, um expoente como atleta e pessoa. Totalmente diferente dos demais”, afirmou Luigi.

• Mais informações sobre acidente de Fernandão

Pelo caráter do Fernandão jogador, o presidente Giovanni Luigi apostou no ex-jogador como diretor de futebol e depois como treinador.  “Para uma pessoa ser treinador, ela precisa adquirir conhecimento com o passar do tempo, mas ele era preparado. Além de atleta, ele tinha conhecimento tático. Muitas vezes, as comissões técnicas trocavam ideias com ele ao longo do tempo justamente pela visão e por ele ser um estudioso do futebol”, declarou o mandatário do Inter.

O presidente Giovanni Luigi e o ex-presidente Fernando Carvalho irão representar o Inter nas cerimônias fúnebres em Goiás.






Bookmark and Share

Fonte: Correio do Povo / Rádio Guaíba






O que você deseja fazer?


Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.