Porto Alegre, segunda-feira, 24 de Novembro de 2014

  • 09/06/2014
  • 15:02
  • Atualização: 15:09

Técnico da França confia na força do grupo para superar corte de Ribéry

Deschamps disse que seleção ganhou confiança com goleada sobre Jamaica

Didier Deschamps confia que França vai superar ausência do craque Ribéry | Foto: Eric Feferberg / AFP / CP

Didier Deschamps confia que França vai superar ausência do craque Ribéry | Foto: Eric Feferberg / AFP / CP

  • Comentários
  • Lancepress

Muitos se questionavam do poder de reação da seleção francesa após o corte de seu craque, Franck Ribéry. Neste domingo, a grande apresentação e o placar de 8 a 0 serviram para afastar essa dúvida e reforçar a união do grupo, afirmou o técnico Didier Deschamps. Ele frisou a dificuldade de construir um resultado tão largo e como o feito dá confiança.

“(A partida) foi boa para todos, para os jogadores. Marcar oito gols nunca é fácil. Alguns dizem que foi porque encaramos a Jamaica. Mas em seu último jogo, eles não levaram muitos gols. Esta é uma boa noite para dar muita confiança, sem deixar um excesso de confiança também. É um bom jogo que conclui a nossa preparação”, comemorou o comandante.

Deschamps ainda falou da formação com Girourd e Benzema no ataque. O francês minimizou o peso dado à aos dois, lembrando que o time todo é importante para uma boa atuação e que colocou os jogadores como titulares para afastar os questionamentos sobre a funcionalidade da dupla. Ambos jogam como centroavantes em seus clubes, mas na formação de Deschamps, Benzema tem jogado mais fora da área.

“Eu queria vê-los juntos, mas não é tanto. Se concentram muito na relação entre Olivier e Karim, mas há também Mathieu (Valbuena) e o meio-campo. Contra uma equipe organizada, há muita mobilidade e deslocamento do time todo. Se eu fiz (a formação com Girourd e Benzema), é para não dizerem que não deu certo e que não funciona. Eles pode trabalhar juntos. Hoje Karim e Olivier estão em excelente condição física e podem fazer mais esforços em conjunto”, disse Deschamps.

O forte apoio da torcida na preparação também foi valorizado para a disputa do Mundial. “Nós não esqueceremos (do apoio). Sentir o fervor é importante. Para os jogadores, é importante sentir que há pessoas que têm orgulho deles. É por causa do que esta equipe fez desde novembro (classificação contra a Ucrânia na repescagem). Faremos o melhor possível, mas já é muito bom e agradável o ambiente”, observou.

Finalmente, a ausência de Ribéry é considerada superada pelo técnico, pois o importante é a força da seleção como um grupo, que já estava entrosado sem o craque. “A equipe já estava coesa e entrosada. Jogamos os dois primeiros amistosos sem ele. Você perde um jogador de classe mundial, a seleção da França é mais forte com ele quando ele está 100%, mas existem outros jogadores. Eles são um grupo”, concluiu Didier Deschamps.

A França chega nesta segunda ao Brasil. A delegação desembarca em São Paulo, e fará a preparação final em Ribeirão Preto. A estreia na Copa do Mundo acontece no Beira-Rio, no domingo, às 16h, contra Honduras.

Bookmark and Share