Porto Alegre, quinta-feira, 30 de Outubro de 2014

  • 10/06/2014
  • 08:21
  • Atualização: 08:46

Inter cogita infraestrutura mínima para homenagens a Fernandão

Missa de sétimo dia foi confirmada para sexta-feira, na Igreja do Rosário

Inter cogita infraestrutura mínima para proteger homenagens a Fernandão | Foto: Samuel Maciel

Inter cogita infraestrutura mínima para proteger homenagens a Fernandão | Foto: Samuel Maciel

  • Comentários
  • Fabrício Falkowski / Correio do Povo

O altar improvisado em frente ao Beira-Rio para venerar Fernandão e seus feitos com a camisa do Inter continuou recebendo peregrinos durante essa segunda-feira. A procura pelo local é tão grande que a direção colorada já cogita montar uma infraestrutura mínima para proteger as homenagens feitas pela torcida ao capitão. O ex-jogador morreu quando o helicóptero onde estava caiu em uma praia do rio Araguaia, em Goiás.

Outra preocupação dos dirigentes colorados é organizar uma missa de sétimo dia que comporte a torcida colorada. A celebração foi confirmada nessa segunda-feira à noite para a próxima sexta-feira, às 20h, na Igreja do Rosário, e deverá contar com a presença de um grande número de jogadores do clube.

A esposa do ex-jogador divulgou uma nota ontem à tarde agradecendo a torcida colorada - e também a gremista - pelas mensagens de apoio endereçadas à família. No texto, Fernanda Costa exalta a ligação criada, desde o princípio, entre Inter e o ídolo. "Fernando foi tudo no Inter: diretor, técnico, jogador e sempre torcedor. Depois que saímos de Porto Alegre seguimos torcendo pelo Colorado", diz o texto assinado por ela.

Por outro lado, as investigações sobre as causas do acidente avançam. A Polícia técnica goiana fez uma vistoria no local do acidente. A delegada de Aruanã, Bruna Coelho Soares, ouviu ontem pessoas que participaram do resgate ou viram Fernandão pouco antes do acidente. Ela deve aguardar ainda os laudos do Instituto de Criminalística.

A Aeronáutica também está fazendo suas diligências. O Centro de Investigação e Prevenção de Acidente Aeronáuticos (Cenipa) faz um trabalho paralelo ao da Polícia. Não há data para divulgação dos resultados, mas elas devem consumir cerca de 18 meses. Peritos do Cenipa recolheram peças do helicóptero para analisá-las em laboratório.

Bookmark and Share