Correio do Povo

Porto Alegre, 25 de Julho de 2014


Porto Alegre
Agora
8ºC
Amanhã
17º


Faça sua Busca


Esportes > Basquete

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

10/06/2014 16:19 - Atualizado em 10/06/2014 16:26

Dono do Clippers desiste de venda e promete processar a NBA

Donald Sterling é o protagonista de um escândalo de racismo e alega ilegalidade na venda obrigatória da franquia

O dono do Los Angeles Clippers, Donald Sterling, parece não estar disposto mesmo a desistir de sua franquia. Ele retirou o apoio à venda do time ao bilionário Steve Ballmer, que já era dada como certa e anunciou que vai processar a NBA em US$ 1 bilhão (cerca de R$ 2,2 bilhões) por "violar seus direitos constitucionais".

Sterling é o protagonista de um escândalo de racismo nos Estados Unidos. Ele foi flagrado em uma gravação telefônica repreendendo sua namorada, V. Stiviano, por tirar fotos ao lado de Magic Johnson, ex-astro dos Los Angeles Lakers e por "trazer pessoas negras" aos jogos do Clippers. O dirigente, então, foi punido pela NBA com uma multa de US$ 2,5 milhões, além de ser obrigado a vender a franquia e se afastar da liga para sempre.

Na noite da última segunda-feira, Sterling divulgou um comunicado intitulado "O time não está à venda", no qual explicou os motivos pelos quais não quer vender o Clippers. Nele, o dirigente afirmou que a NBA está se baseando em uma informação conseguida através de uma gravação "ilegal".

"Eu decidi que preciso lutar para proteger meus direitos", declarou Sterling. "Apesar de minha posição não ser popular, acredito que meus direitos à privacidade e à proteção dos meus direitos durante o processo não devem ser descartados. Eu amo o time e me dediquei por 33 anos da minha vida à organização. Eu pretendo lutar para mantê-la", prometeu.

Após o anúncio da punição pela NBA, a esposa de Donald, Shelly Sterling, coproprietária da empresa que controla as ações da franquia, passou a negociar a venda do Clippers e acertou com o ex-CEO da Microsoft, Steve Ballmer. A proposta de US$ 2 bilhões foi aceita e o acordo foi selado.

Inicialmente, Donald Sterling se colocou contra a venda, mas na semana passada afirmou que havia se arrependido e que "as diferenças haviam sido resolvidas". No entanto, o dirigente parece ter voltado atrás mais uma vez da decisão.

Segundo pessoas próximas, Sterling decidiu voltar a se posicionar contra a NBA e a negociação depois de saber que a multa e o banimento dele não seriam revogados.

"Fomos instruídos a iniciar a abertura de um processo", disse o advogado do dirigente, Maxwell Blecher, confirmando que pedirá US$ 1 bilhão à NBA. "Acho que o Adam Silver (comissário da NBA) se precipitou ao ordenar ilegalmente a venda obrigatória do Clippers, minha suspensão perpétua e a imposição da multa. Sua conduta ao fazê-lo, sem nenhuma investigação real, mostra que estava equivocado. As medidas são uma violação dos meus direitos e das liberdades que se concede a todos os norte-americanos", afirmou Sterling.

Bookmark and Share


Fonte: AFP





» Tags:Basquete Esporte NBA

O que você deseja fazer?


Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.