Porto Alegre, terça-feira, 21 de Outubro de 2014

  • 14/06/2014
  • 18:07
  • Atualização: 14:40

De virada, Costa Rica derrota o Uruguai por 3 a 1

Seleção da América Central soma três pontos no Grupo D da Copa do Mundo

Jogadores da Costa Rica comemoram a vitória | Foto: Christophe Simon / AFP / CP

Jogadores da Costa Rica comemoram a vitória | Foto: Christophe Simon / AFP / CP

  • Comentários
  • Lancepress

E quando o Uruguai ainda tentava assimilar o gol de empate e se organizava para tentar retomar a ponta, Bolaños fez mais um cruzamento perigoso e Duarte, de peixinho, cabeceou para a virada. O técnico Óscar Tabárez tentou colocar o time para a frente e não arrumou nada. Desorganizada, a Celeste avançou os jogadores no campo e deixou espaços na defesa. E Ureña, um minuto depois de substituir Ruiz, fechou o script da tragédia uruguaia em Fortaleza - que ainda teve direito a agressão de Maxi Pereira em Campbell e expulsão do lateral-direito., em Fortaleza, começou com o Uruguai, bicampeão mundial, como franco favorito. E o gol de Cavani no primeiro tempo, de pênalti, deu a impressão de que esta superioridade seria confirmada. Mas a Copa do Mundo sempre reserva surpresas. Foi o que aconteceu no segundo tempo da partida entre Uruguai e Costa Rica. A seleção da América Central sobrou no segundo tempo, virou o placar para 3 a 1 e decretou a primeira zebra do torneio.

A partida começou como esperado. Com o Uruguai pressionando e a Costa Rica bem fechada, no esquema 5-4-1. Apesar disso, o Uruguai tinha dificuldades em criar jogadas e a seleção costarriquenha apostava na qualidade de Campbell, que brigava com Godín e Lugano e deixava os zagueiros de cabelo em pé com a sua habilidade e força. E quando o jogo estava em banho-maria, Junior Diaz cometeu a besteira de agarrar Lugano claramente dentro da área. Pênalti muito bem cobrado por Cavani, apesar de Navas pular no canto esquerdo e quase alcançar a bola.

Após o gol, a Costa Rica começou a sair para o ataque de forma tímida e o Uruguai se fechou, adotando a tática costarriquenha do início da partida. Apesar de ter algumas boas chances, foi a Celeste quem se aproximou do gol, após chute de Forlán que desviou na zaga e quase enganou Navas, que se esticou todo e colocou para escanteio numa defesa sensacional - justificando o prêmio de melhor goleiro da última temporada do Campeonato Espanhol.

Sem nenhuma mudança para o segundo tempo, a Costa Rica adotou outra postura, mais ofensiva e tentando explorar a altura dos zagueiros nas bolas aéreas, com as cobranças venenosas de Bolaños. E o mesmo Bolaños, com bola rolando, encontrou o perigoso Campbell livre na área. O atacante, que tem contrato com o Arsenal (ING), dominou e finalizou sem chances para Muslera.

E quando o Uruguai ainda tentava assimilar o gol de empate e se organizava para tentar retomar a ponta, Bolaños fez mais um cruzamento perigoso e Duarte, de peixinho, cabeceou para a virada. O técnico Óscar Tabárez tentou colocar o time para a frente e não arrumou nada. Desorganizada, a Celeste avançou os jogadores no campo e deixou espaços na defesa. E Ureña, um minuto depois de substituir Ruiz, fechou o script da tragédia uruguaia em Fortaleza - que ainda teve direito a agressão de Maxi Pereira em Campbell e expulsão do lateral-direito.

E quando o Uruguai ainda tentava assimilar o gol de empate e se organizava para tentar retomar a ponta, Bolaños fez mais um cruzamento perigoso e Duarte, de peixinho, cabeceou para a virada. O técnico Óscar Tabárez tentou colocar o time para a frente e não arrumou nada. Desorganizada, a Celeste avançou os jogadores no campo e deixou espaços na defesa. E Ureña, um minuto depois de substituir Ruiz, fechou o script da tragédia uruguaia em Fortaleza - que ainda teve direito a agressão de Maxi Pereira em Campbell e expulsão do lateral-direito.






Bookmark and Share