Porto Alegre, sexta-feira, 24 de Outubro de 2014

  • 16/06/2014
  • 11:25
  • Atualização: 11:50

Após sair do coma, Schumacher é transferido para hospital suíço

Ex-piloto de 45 anos ficou por quase seis meses internado na França

Ex-piloto de 45 anos  ficou por quase seis meses em coma  | Foto:  Toshifumi Kitamura / AFP / CP

Ex-piloto de 45 anos ficou por quase seis meses em coma | Foto: Toshifumi Kitamura / AFP / CP

  • Comentários
  • AFP

O ex-piloto alemão de Fórmula 1 Michael Schumacher não está mais em coma e deixou o hospital da cidade de Grenoble, França, onde estava há quase seis meses, após um grave acidente de esqui. Schumacher foi levado para um centro médico na Suíça.

"Michael abandonou o Hospital Universitário de Grenoble para seguir com a longa fase de reabilitação. Não está mais em coma", anunciou em um breve comunicado Sabine Kehm, porta-voz da família, sem revelar detalhes sobre a saúde do heptacampeão mundial de Fórmula 1, de 45 anos.

O piloto foi levado para o Hospital Universitário de Vaud (CHUV), na cidade suíça de Lausanne.  "Sua família está com ele, em um espaço preparado especialmente para preservar sua intimidade e assegurar o melhor tratamento
possível", afirmou o porta-voz do CHUV, Darcy Christen.

O caso foi tratado por três dos melhores neurologistas da França. O acidente de Schumacher, em 29 de dezembro, atraiu a imprensa mundial para o Hospital de Grenoble, mas a saída do piloto do local foi mantida em sigilo e não está prevista uma entrevista coletiva.  "Pedimos a todos, por favor, que respeitem o fato de que esta longa fase de readaptação acontecerá de maneira privada", completa o comunicado da porta-voz do ex-piloto.

Informação a conta-gotas

No dia 30 de janeiro, os médicos anunciaram o início do processo de saída do estado de coma, uma fase lenta, com a redução progressiva dos sedativos que eram administrados. Desde então começou a ter "momentos de consciência", segundo sua família, que não mencionou nada sobre possíveis sequelas. As informações foram divulgadas a conta-gotas, apenas com respostas aos recorrentes boatos.

"Michael está progredindo. Estamos a seu lado durante este longo e difícil combate com a equipe do Hospital de Grenoble, e somos positivos", afirmou Sabine Kehm em 4 de abril. "Acreditamos que Michael sairá desta e acordará. De vez em quando há sinais promissores. Mas sabemos que temos que ser pacientes", destacou um comunicado divulgado em 12 de março.

Em 29 de dezembro de 2013, Schumacher bateu violentamente a cabeça contra uma rocha quando praticava esqui com o filho e um grupo de amigos na estação alpina de Meribel, na França. No dia 17 de fevereiro, a justiça arquivou a investigação do acidente ao descartar qualquer responsabilidade alheia, mas a a família ainda tem a possibilidade de iniciar um processo civil. A família se recusa a revelar qualquer tipo de informação sobre o estado de saúde e as possíveis sequelas do ex-piloto.


                  Hospital Universitário de Vaud (CHUV), na cidade suíça de Lausanne / Foto:  Stephanie Pertuiset / AFP / CP

Bookmark and Share