Porto Alegre, quarta-feira, 26 de Novembro de 2014

  • 17/06/2014
  • 10:41
  • Atualização: 10:45

Messi pede coragem tática à Argentina

Atacante ficou incomodado com postura recuada da seleção diante da Bósnia

Messi pede coragem tática à Argentina  | Foto: Juan Mabromata / AFP / CP

Messi pede coragem tática à Argentina | Foto: Juan Mabromata / AFP / CP

  • Comentários
  • Lancepress

O desempenho da seleção argentina no primeiro tempo contra a Bósnia incomodou Messi, que não quer a mesma postura postura tática quando a equipe estava no esquema 5-3-2, recuada e tentando os contra-ataques. Messi deixou claro que a melhora da segunda etapa deve ser levada em consideração pelo treinador Alejandro Sabella que, de uma forma ou de outra, foi cornetado pelo astro.

"Somos a Argentina. Não devemos nos importar com o rival que está à nossa frente. No primeiro tempo, não tinha a bola e acabava ficando longe do gol. Tinha que buscar para seguir adiante. Acabei perdendo várias bolas e muitas toquei para trás. Não fazia a partida que pretendia. No segundo tempo melhoramos porque jogamos como estamos acostumados e como gostamos", afirmou o meia-atacante, marcando seu território.

Na primeira etapa, a equipe atuou no 5-3-2, com três zagueiros e dois laterais mais presos. No intervalo, Alejandro Sabella tirou dois jogadores menos ofensivos (Campagnaro e Maxi Rodriguez) e colocou Gago e Higuaín, alterando o esquema para o 4-3-3. "Com os dois do ataque e eu mais atrás tivemos mais possibilidades, e ainda com o Dí Maria que ia pelos lados do campo. No primeiro tempo, eu e o Kun (Aguero) ficamos longe dos outros jogadores", afirmou.

Independentemente do esquema tático, Messi vê a necessidade de melhora. O astro da Argentina, porém, fez a ressalva da ansiedade do primeiro jogo no Mundial. "Há muita coisa para melhorar. Cometemos muitos erros, era a primeira partida do Mundial. O importante foi o triunfo, que nos dá tranquilidade para ver o que fizemos bem, o que fizemos mal", lembrou.

Por fim, o atacante do Barcelona falou sobre a comemoração de seu gol, o segundo em Copas do Mundo. Uma comemoração que pareceu um verdadeiro desabafo. "Não quis expressar nada. Somente festejar o gol, que foi importante para mim, para a partida. As coisas não estavam saindo como pretendia. Não quis demonstrar nada demais", afirmou.

Bookmark and Share