Porto Alegre, sexta-feira, 31 de Outubro de 2014

  • 18/06/2014
  • 09:21
  • Atualização: 09:32

Brasil tem Neymar e mais três pendurados para enfrentar Camarões

Thiago Silva, Luiz Gustavo e Ramires também foram advertidos com cartão amarelo

Brasil tem Neymar e mais três pendurados para enfrentar Camarões   | Foto: Vanderlei Almeida / AFP / CP

Brasil tem Neymar e mais três pendurados para enfrentar Camarões | Foto: Vanderlei Almeida / AFP / CP

  • Comentários
  • Lancepress

Além da classificação, outra preocupação acompanhará a Seleção Brasileira na partida contra Camarões, na próxima segunda-feira, às 17h, no Mané Garrincha, em Brasília que encerra a participação do Brasil na primeira fase e define o destino da equipe na Copa do Mundo. Quatro jogadores entrarão em campo pendurados com um cartão amarelo.

Thiago Silva e Ramires foram advertidos pelo turco Cuneyt Cakir no empate sem gols com o México, em Fortaleza, e se somaram à relação que já tinha Neymar e Luiz Gustavo, notificados na vitória sobre a Croácia, na estreia. "De alguma forma o cartão preocupa, mas eu acho que o mais importante de tudo é ter jogadores capacitados em caso de ausência. O Felipão convocou 23 porque sabe que podem contar com todos", declarou o capitão Thiago Silva.

Substituído no intervalo no Castelão, Ramires admite que o fato de ter terminado a etapa inicial com cartão pesou para que Luiz Felipe Scolari o sacasse da equipe em troca de Bernard, para evitar ficar com um jogador a menos em campo. "Eu acho que sim, porque do jeito que estava o jogo. Com duas faltas feitas eu levei o amarelo, sendo uma falta no meio de campo e outra na lateral, sendo que toquei primeiro na bola", relatou.

E Ramires está certo. Felipão confessou que mexeu na equipe para não ficar com desvantagem numérica e ver a seleção mexicana dominar o confronto. "Em princípio e quase naturalmente, ele saiu por causa do cartão. Ramires é um jogador impetuoso e como o jogo estava muito dividido poderia fazer uma falta e o juiz entender que seria para cartão. Aí, então, não teríamos o jogo controlado", explicou.

Bookmark and Share