Porto Alegre, sexta-feira, 19 de Dezembro de 2014

  • 20/06/2014
  • 00:46
  • Atualização: 00:51

Técnico da Inglaterra reconhece estado de ânimo muito baixo

Roy Hodgson descartou pedir demissão e time ainda aposta em ajuda da Itália na Copa

Técnico da Inglaterra reconhece estado de ânimo muito baixo | Foto: Daniel Garcia / AFP / CP

Técnico da Inglaterra reconhece estado de ânimo muito baixo | Foto: Daniel Garcia / AFP / CP

  • Comentários
  • AFP

O técnico da Inglaterra, o veterano Roy Hodgson, manifestou sua forte decepção após a derrota por 2 a 1 para o Uruguai, pelo Grupo D da Copa do Mundo, o que deixou a equipe na UTI. Ele descartou, entretanto, deixar o cargo. "Tentamos com garra, mas agora nosso estado de ânimo está muito baixo. É difícil saber o que dizer", relatou o ex-treinador do Liverpool na entrevista coletiva no Itaquerão.

Apesar da situação crítica da Inglaterra na Copa, Hodgson revelou que não planeja se demitir no futuro. Cabe a Federação Inglesa "decidir que não sou a pessoa adequada para este trabalho". Contra o Uruguai "concedemos dois gols, mas não tiveram tantas oportunidades. Penso que controlamos muito mais a bola, mas eles se mantiveram firmes e não conseguimos marcar", avaliou o veterano de 66 anos.

"Mais que decepcionados, estamos devastados", disse Hodgson, que substituiu Fabio Capello pouco antes da Eurocopa de 2012, quando os ingleses chegaram às quartas de final.

O zagueiro Gary Cahill não se dá por vencido e acredita na ajuda dos italianos: "Vamos esperar que a Itália jogue bem suas duas próximas partidas e tentar ganhar nossa última". Para chegar às oitavas de final, a Inglaterra precisa que a Itália vença suas duas próximas partidas, contra Costa Rica e Uruguai, e deve ganhar dos costarriquenhos na última rodada da chave. "Vai ser muito duro", admitiu o jogador.

Bookmark and Share