Porto Alegre, terça-feira, 21 de Outubro de 2014

  • 21/06/2014
  • 09:35
  • Atualização: 09:40

Argentina encara Irã em busca do brilho perdido

Partida pelo Grupo F ocorre às 13h no Mineirão

Argentina encara Irã em busca do brilho perdido | Foto: Yasuyoshi Chiba / AFP / CP

Argentina encara Irã em busca do brilho perdido | Foto: Yasuyoshi Chiba / AFP / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

Sem brilho, a Argentina cumpriu seu papel e venceu a Bósnia, na estreia, por 2 a 1. No entanto, ainda falta ao time de Messi, Di María, Agüero e companhia mostrar no Brasil aquele futebol contundente e insinuante que o colocou em praticamente todas as listas de favoritos ao título elaboradas ao redor do planeta. Neste sábado, às 13h, no estádio Mineirão, diante do Irã — que não deve impor tantas dificuldades assim —, os argentinos terão mais uma oportunidade para isso.

Para Messi, o motivo do futebol fraco da estreia foi o esquema tático proposto por Alejandro Sabella. Ele deixou claro em uma entrevista coletiva que prefere jogar no 4-3-3, mas Sabella montou um 3-5-2 para enfrentar a Bósnia. A imprensa argentina fulminou o treinador, dizendo que a declaração do jogador expôs o grupo e o seu comando. Sabella defendeu-se ontem. E disse que não tem problema de relacionamento com seu principal jogador.
“(As declarações de Messi) não me incomodaram. São coisas que eu já sabia. Perguntei para ele como gosta de jogar e me disse. Não fez mais do que reiterar. Fez isso com muito respeito. Vivemos um clima de cordialidade”, disse. “Temos um grande espírito de grupo. Falo de futebol com os jogadores e, em linhas gerais, tenho bom contato. Sempre se aprende. Os jogadores com o treinador e o treinador com os jogadores”, enfatizou o técnico em entrevista.
Os jornalistas argentinos, porém, não se satisfizeram com a resposta de Sabella e continuaram abordando o assunto. O técnico irritou-se. “Messi já tinha dito que gostava de jogar no 4-3-3 com Di María chegando ao ataque. Vou repetir: ele não disse nada novo e falou de forma respeitosa. Não me incomodou e o ambiente continua perfeito. Todos os dias, vão jogadores falar com a imprensa e vivemos um clima de liberdade e segurança nas nossas decisões profissionais e humanas. No dia seguinte da partida, quem determina quem fala é o treinador, e eu disse ao Messi para ir falar em coletiva. Tenho total confiança nos profissionais. Quando eu não deixar um falar, é porque não tem confiança de sua capacidade. Eu estou muito tranquilo.”

Coincidência ou não, contra o Irã, Sabella fará uma alteração no esquema para voltar justamente ao 4-3-3 defendido por Messi. Ou seja, volta o “quadrado mágico” com Higuain, Di María, Agüero e o próprio Messi ao setor ofensivo. Diante da Bósnia, Higuain esperou no banco de reservas. “Contra o Irã, vamos jogar no 4-3-3. Depois, vamos ver. Tenho que jogar uma partida e ver o que acontece, se teria que trocar ou não”, despista Sabela.

O Irã empatou por 0 a 0 com a Nigéria na estreia e ainda sonha em conquistar uma vaga nas oitavas de final do Mundial.

Grupo F 

Argentina
Romero, Zabaleta, Garay, Fernández, Rojo, Mascherano, Gago, Di María, Agüero, Higuaín e Messi. Técnico: A. Sabella.

Irã

Ahmadi, Heydari, Hosseini, Montazeri, Beikzadeh, Timotian, Nekounam, Hadadifar, Shojaei, Ghoochannejhad e Dejagah. Técnico: C. Queiróz.

Árbitro: Milorad Mazic (sérvio).

Local: estádio Mineirão, em Belo Horizonte.

Início: 13h.

Bookmark and Share


TAGS » Esporte, Copa 2014