Porto Alegre, quinta-feira, 23 de Outubro de 2014

  • 22/06/2014
  • 14:21
  • Atualização: 14:34

Técnico holandês critica vazamento da imprensa e arbitragem

Van Gaal questionou que o Brasil jogue sua terceira partida após definição do Grupo B

  • Comentários
  • AFP

O técnico da Holanda, Louis van Gaal, criticou a imprensa por ter divulgado detalhes de um treino fechado, e questionou a arbitragem pelos dois pênaltis marcados contra sua equipe. O treinador afirmou que as revelações – que incluem a possível escalação de Dirk Kuyt no lugar de Robin van Persie, suspenso – não ajudam a seleção holandesa.

"Se fazemos treinos fechados, e de alguma maneira os veículos holandeses averiguam coisas, não me agrada, porque vai contra nossos interesses", criticou. O treinador disse que não discutirá a escalação do time, para não dar nenhuma pista para o Chile sobre a partida de segunda-feira, em São Paulo.

As duas equipes estão classificadas para as oitavas de final da Copa do Mundo, e disputam o primeiro lugar do grupo B. Uma das razões é evitar um confronto com o Brasil, que deve ser o primeiro colocado do grupo A. Van Gaal também criticou a arbitragem, em razão dos dois pênaltis marcados até aqui contra a Holanda, e desejou que o juiz do próximo jogo, o gambiano Bakary Gassama, faça um "trabalho melhor". "Não vou opinar sobre esse árbitro, não conheço ele. Considero que a Fifa só escolhe os melhores árbitros", declarou o técnico. "Mas, o que já vi é que marcaram dois pênaltis inexistentes contra nós", questionou, referindo-se às partidas contra Espanha e Austrália.

Van Gaal também questionou que o Brasil jogue sua terceira partida, contra Camarões, um pouco mais tarde, já conhecendo o resultado do confronto entre Holanda e Chile. "É ridículo. A Fifa em cada partida faz publicidade sobre esse fair play, e neste caso, não está certo", ressaltou. "Vamos nos concentrar em ganhar do Chile, e não acho que somos afetados pelo fato deles jogarem depois de nós. Espero que (os brasileiros) cumpram seu dever esportivo", acrescentou.

O técnico falou em coletiva de imprensa, ao lado do zagueiro Bruno Martins Indi, que não jogará o próximo jogo por estar lesionado. "A Fifa decidiu que deveríamos dar uma coletiva de imprensa antes do treinamento, o que não é muito inteligente. Creio que os jogadores devem se concentrar no treino, e por isso pedimos a Bruno que viesse para representar o grupo", concluiu.

Bookmark and Share