Porto Alegre, quinta-feira, 27 de Novembro de 2014

  • 22/06/2014
  • 20:38
  • Atualização: 21:38

Brasil repetirá escalação da estreia contra Camarões

Felipão confirmou volta de Hulk e reiterou confiança em Paulinho

Hulk volta ao time do Brasil após ficar fora contra o México | Foto: Pierre-Philippe Marcou / AFP / CP

Hulk volta ao time do Brasil após ficar fora contra o México | Foto: Pierre-Philippe Marcou / AFP / CP

  • Comentários
  • Lancepress

A manutenção do time titular no último coletivo realizado em Teresópolis, no sábado, foi confirmada pelo técnico Luiz Felipe Scolari neste domingo, em Brasília, após o trabalho de reconhecimento do campo do Mané Garrincha. Contra Camarões, o técnico repetirá a formação que começou o Mundial diante da Croácia.

Depois de bancar Fred após o empate sem gols com o México em Fortaleza, o técnico saiu em defesa de Paulinho neste domingo e frisou a condição de intocável do camisa 8. “Não vejo que ele caiu. Ele tem voltado a melhorar de produção em relação às dificuldades que teve no time dele. Temos de dar o tempo de crescimento a Paulinho. Confio cegamente e gosto dele não só como jogador, mas como pessoa, o jeito dele e a dedicação que tem nos jogos. Confio plenamente e acredito que amanhã estará já em um nível melhor”.

A volta do atacante Hulk será a única mudança em relação ao time que empatou na Arena Castelão. O jogador, depois de alegar dores na coxa esquerda, foi preterido por Ramires e ficou no banco.

“Não vou fazer mudanças. Confio no time que coloquei no primeiro jogo. Meus jogadores entendem que o trabalho é assim. Quando fizer uma mudança, quem receber a chance vai trabalhar de acordo com o que pedirmos. Somos um grupo e tem uma pessoa que lidera e tem de escolher. Acho que devo continuar com quem iniciou a Copa”, garantiu.

Felipão, por sua vez, disse que poderá fazer alguns testes no decorrer do jogo. “Durante o transcorrer, dependendo do jogo, vou fazer algumas mudanças que já foram experimentadas em jogos e treinamentos”, disse.

Por fim, o técnico admitiu que o rendimento do time não é o mesmo em relação à Copa das Confederações, alegando diferença entre o torneio vencido em 2013 e a Copa do Mundo deste ano. “Não estamos ainda no mesmo nível da Copa das Confederações. É algo normal até porque Copa do Mundo é diferente, é mais forte. As equipes mostram que não há facilidades”, comentou.

Bookmark and Share