Porto Alegre, sexta-feira, 31 de Outubro de 2014

  • 25/06/2014
  • 08:10
  • Atualização: 08:19

Irã joga contra a Bósnia e sonha com a classificação inédita

Seleção asiática previca vence e torcer contra a Nigéria

Seleção iraniana treinou na terça-feira em Salvador  | Foto: Behrouz Mehri / AFP / CP

Seleção iraniana treinou na terça-feira em Salvador | Foto: Behrouz Mehri / AFP / CP

  • Comentários
  • Lancepress

Nesta quarta-feira, 25 de junho, às 13h, a Arena Fonte Nova vai receber o jogo entre a eliminada Bósnia e o sonhador Irã. A seleção asiática, apesar de ainda não ter vencido, e sequer ter feito gols em duas rodadas, ainda tem chances de avançar para as oitavas de final da Copa. Para isso, precisa vencer a Bósnia e torcer por uma vitória da Argentina sobre a Nigéria. Além de vencer, o Irã precisa tirar a diferença de saldo de gols em relação aos africanos.

Sob forte esquema de segurança, a seleção iraniana inaugurou o Barradão no treino secreto antes do jogo contra a Bósnia. O estádio ganhou um novo gramado, além de mudanças pontuais nas estruturas. Entre as seis seleções que já atuaram em Salvador nesta Copa, nenhuma havia escolhido o Barradão para treinar.

De olho na vaga nas oitavas de final, o técnico Carlos Queiroz escondeu a escalação. Apenas os primeiros momentos do treino puderam ser registrados pelos jornalistas. Um membro da comissão técnica iraniana chegou a se irritar com insistência dos jornalistas. Depois de fazer uma boa partida contra a Argentina, o Irã não deve ter mudanças para a partida que pode ser a sua última nesta Copa ou um jogo histórico pela inédita classificação. A esperança de gols está novamente nos pés de Reza Ghoochannejhad. O atacante não pode falhar diante dos bósnios se quiser fazer seu time avançar.

A eliminação precoce da Bósnia-Herzegovina é uma realidade. Mas até agora os graves erros de arbitragem estão atormentando jogadores e comissão técnica. Junto com a frustração pelo sentimento de que poderiam ir mais longe na Copa, atletas mantém o discurso de revolta. Se o árbitro Peter O’Leary não tivesse anulado o gol legal de Edin Dzeko contra a Nigéria, o jogo desta quarta-feira, contra o Irã, poderia ganhar contornos e dimensões muito diferentes. Por isso, o técnico Safet Susic insiste que a Fifa deveria ouvir as reclamações e evoluir nas suas regras, além de exigir a tecnologia do tênis e da NBA à Fifa.

Grupo F - Copa do Mundo

Bósnia
Begovic; Mujdza, Sunjic, Spahic, Medunjanin;Pjanic, Besic, Misimovic, Hajrovic, Lulic ;Dzeko. Técnico: Safet Susic.

Irã
Haghighi; Hosseini, Sadeghi, Montazeri, Pooladi; Timotian, Nekounam, Dejagah, Shojaei, Haji Safi; Ghoochannejad . Técnico: Carlos Queiroz.

Local: Arena Fonte Nova - Salvador, Bahia.
Hora: 13h
Árbitro: Carlos Velasco Carballo (Fifa-ESP)
Auxiliares: Roberto Alonso Fernadez (Fifa-ESP) e Juan Yuste (Fifa-ESP)

Bookmark and Share