Correio do Povo | Notícias | Grêmio sofre, luta e supera Estudiantes nos pênaltis e segue na Libertadores

Porto Alegre

19ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quarta-feira, 19 de Setembro de 2018

  • 28/08/2018
  • 23:51
  • Atualização: 16:19

Grêmio sofre, luta e supera Estudiantes nos pênaltis e segue na Libertadores

Tricolor conseguiu 2 a 1 nos acréscimos e com cinco atacantes no gramado

  • Comentários
  • Bernardo Bercht

Foi sofrido, foi dramático, foi com a cara do Grêmio a classificação para as quartas de final da Libertadores em busca do sonhado tetracampeonato da América. Os mais de 45 mil torcedores enlouqueceram, na noite desta terça-feira, com o gol de Alisson, já nos acréscimos que garantiu a disputa de pênaltis contra o Estudiantes. Contestado pelas cobranças na marca da cal, o Tricolor acertou todos os chutes, com André, criticado pela torcida acertando com categoria.

Nos 90 minutos, Everton abriu o placar cedo, aos 6 minutos, mas um minuto depois, numa falha de Geromel, o que é raro, os argentinos empataram. A partir daí o Tricolor alugou o campo e tocou a bola, mas sem muita penetração ofensiva. Para mudar este cenário Renato chegou a empilhar atacantes no fim e Alisson foi o nome do gol da esperança. Era tudo o que a gremistada precisava e foi buscar o lugar nas quartas de final.

Agora, o Grêmio vai encarar o Atlético Tucuman, que mesmo com a derrota por 1 a 0 para o Atlético Nacional (COL) avançou, pois havia vencido o primeiro jogo por 2 a 0. Os jogos das  quartas de final serão 18 de setembro (Argentina) e 2 de outubro, na Arena. Por enquanto, o Tricolor volta às atenções ao Brasileirão, onde enfrenta o Botafogo no sábado.

Alegria dura pouco

Depois de uma pressão intensa na arrancada, Everton brilhou aos seis minutos. Jael recebeu na frente da área e serviu o Cebolinha pelo alto. Everton conseguiu chutar num giro acrobático e encobriu o goleiro Andujar para um golaço. A Arena enxergava um lugar nas quartas de final com confiança.

O sentimento durou apenas dois minutos, pois o setor defensivo gremista apagou. Jailson foi prensado no meio e recuou apertado para Geromel. O zagueiro, ao invés de tentar afastar, tentou tocar de chapa para Maicon. Um erro fatal, pois com o pé mole foi desarmado por Lucas Rodrigues. O atacante seguiu livre para a área e tocou na saída de Marcelo Grohe para anotar 1 a 1 e tornar a situação dramática.

A partir daí, uma história que o torcedor já conhece. A posse de bola foi toda gremista, com pouquíssima objetividade. Conclusões foram esparsas, enquanto as jogadas giravam de um lado a outro do campo dos argentinos.

Poucas chances e frustração

Aos 28 minutos, Jael tentou cobrar falta de longe com força, a bola rebateu e ele conseguiu passar para Maicon. O capitão mandou uma bomba que foi desviada pela zaga. Aos 34, ninguém chutou numa jogada que foi de Luan, para Maicon, para Geromel, que ajeitou de cabeça para Jailson, que não se decidiu pelo arremate e mandou errado para tiro de meta.

A última oportunidade veio aos 41, numa inversão de papéis. Everton cobrou o escanteio no segundo poste e Luan dominou. No papel de nove, ajeitou e chutou forte, mas com pouco ângulo parou na defesa de Andujar. 

Segundo tempo

A segunda etapa começou com um susto do Estudiantes. Erquiaga recebeu na esquerda e levantou com perigo na área. Apaolazza desviou de cabeça. Marcelo Grohe conseguiu se antecipar.

Depois disso, voltou o script normal, mesmo com Alisson no lugar de Ramiro. O Grêmio circulava a bola, dono do jogo, sem conseguir ser incisivo. Aos 6, Jailson tocou para Luan, que ao invés de chutar lançou para Jael que estava marcado e perdeu a bola.

Tudo ou nada até vencer

Aos 9, Jael quase marcou. Everton jogou com Leo Moura, que cruzou na confusão. Jael puxou a bicicleta e bateu com força para ver passar à esquerda do gol. Três minutos depois, finalmente Andujar trabalhou. Jailson tentou o chute do meio da rua, ia no ângulo, mas o goleirão espalmou.

Depois disso, um grande hiato em que o Tricolor buscava espaço com  pouca inspiração. Renato lançou André no lugar de Léo Moura, passando a contar com quatro atacantes. E um deles perdeu uma grande chance. André serviu na frente do gol e Jael teve tempo para pensar e chutar, só que em cima do marcador. Luan desperdiçou da mesma forma, no lance seguinte. Recebeu de frente para a meta, com espaço, mas bateu fraquinho em cima do goleiro.

O Grêmio insistiu, Geromel tentou chutar de longe e se redimir, Andujar pegou mais uma, mas Alisson e Everton lutavam, aparecendo em todos os lados do campo. Aos 46, o Cebolinha correu na esquerda e foi derrubado rente à risca da área. Predestinado, Alisson aparou de cabeça o cruzamento de Luan. Andujar viu passar entre suas mãos, bater no travessão de forma dramática e entrar com uma explosão de festa da Arena: 2 a 1.

Muita festa e nada resolvido, pois vinham as temerosas penalidades, no histórico recente do Grêmio. Quando é para decidir, entretanto, como na Recopa, o Tricolor corresponde. Todos os gremistas acertaram suas cobranças, Maicon, Everton, Jael, Alisson e André deixaram sua marca, enquanto Campi isolou por cima. Cinco a três e o sonho do tetra da América vivo na Arena.

Ficha técnica

Grêmio (5) 2

Marcelo Grohe; Léo Moura (André), Pedro Geromel, Kannemann e Bruno Cortez; Jailson (Pepê), Maicon e Ramiro (Alisson); Luan, Jael e Everton.

Técnico: Renato Portaluppi 

Estudiantes (3) 1

Andujar; Facundo Sánchez, Fabián Noguera, Schunke e Campi; Iván Gómez, Braña, Lucas Rodríguez e Erquiaga (Lugüercio); Apaolaza e Pellegrini (Lattanzio).

Técnico: Leandro Benítez 

Gols - Everton, aos 6, e Lucas Rodríguez, aos 8 minutos do primeiro tempo. Alisson, aos 47 minutos do segundo tempo 

Cartões amarelos - Maicon, Ramiro e Léo Moura (Grêmio); Facundo Sánchez, Lugüercio, Campi, Lattanzio e Braña (Estudiantes)

Árbitro - Eber Aquino (PAR) 

Local - Arena Grêmio, em Porto Alegre (RS)