Correio do Povo | Notícias | Árbitro da partida entre Real Madrid e Juventus vive sob proteção policial

Porto Alegre

17ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, terça-feira, 17 de Julho de 2018

  • 16/04/2018
  • 16:52
  • Atualização: 17:03

Árbitro da partida entre Real Madrid e Juventus vive sob proteção policial

Michael Oliver marcou pênalti nos acréscimos a favor dos espanhóis e tem recebido ameaças nas redes sociais

Michael Oliver foi questionado pelo pênalti marcado nos minutos finais entre Real Madrid e Juventus | Foto: Oscar del Pozo / AFP / CP

Michael Oliver foi questionado pelo pênalti marcado nos minutos finais entre Real Madrid e Juventus | Foto: Oscar del Pozo / AFP / CP

  • Comentários
  • AFP

Michael Oliver, árbitro do duelo de quartas de final da Liga dos Campeões entre Real Madrid e Juventus e responsável por marcar um pênalti nos acréscimos a favor do time espanhol, foi colocado sob proteção policial após ser alvo de ameaças nas redes sociais, informou a polícia inglesa nesta segunda-feira. Desde o pênalti polêmico nos acréscimos em Madri na última quarta-feira, que valeu a classificação às quartas de final para Cristiano Ronaldo e companhia, Michael Oliver e a esposa Lucy se tornaram alvos de ameaças nas redes sociais.

• "Vergonha falarem de roubo", diz Zidane sobre vitória do Real Madrid contra Juventus

O pênalti havia sido duramente criticado pelo goleiro da Juventus Gianluigi Buffon, que acabou expulso por reclamação após o lance. O lendário goleiro italiano chegou a declarar após a partida que Oliver, 33 anos, tinha "um saco de lixo no lugar do coração". No momento em que o árbitro assinalou o pênalti, a Juventus, derrotada em Turim no jogo de ida por 3 a 0, vencia por 3 a 0 em Madri, um resultado que levaria o jogo à prorrogação.

Desde então, Oliver e a família vêm sofrendo ameaças e o número de celular da esposa foi publicado nas redes sociais, o que levou a uma enxurrada de mensagens insultantes e agressivas. "Estamos cientes das mensagens ameaçadoras postadas nas redes sociais", declarou o porta-voz da polícia de Northumbria, no norte da Inglaterra, nesta segunda-feira.

"Este tipo de comportamento é totalmente inaceitável e as pessoas que escrevem estas mensagens deveriam saber que poderia se constituir um crime". "Os agentes da polícia do bairro (onde vivem Oliver e a família) estão em contato com as vítimas, ofereceram apoio e pediram para que toda nova ofensa fosse denunciada", completou.

No último sábado, Oliver trabalhou como quarto árbitro na partida entre Huddersfield e Watford, pelo Campeonato Inglês.