Correio do Povo | Notícias | Possibilidade de medalha do Brasil nos Jogos de Inverno 2018 é bastante remota

Porto Alegre

18ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, sexta-feira, 25 de Maio de 2018

  • 04/02/2018
  • 16:52
  • Atualização: 17:00

Possibilidade de medalha do Brasil nos Jogos de Inverno 2018 é bastante remota

País será representado nas modalidades de patinação artística, esqui alpino e snowboard

Isadora Williams representa Brasil na patinação artística  | Foto: Divulgação / CBDG / CP

Isadora Williams representa Brasil na patinação artística | Foto: Divulgação / CBDG / CP

  • Comentários
  • AE

Além dos quatro titulares e um reserva do bobsled e dos dois atletas do esqui cross country, o Brasil estará representado nos Jogos de Inverno de 2018 em outras três modalidades: patinação artística, com Isadora Williams, esqui alpino, com Michel Macedo, e snowboard, com Isabel Clark.

Mesmo a despeito da empolgação natural dos representantes nacionais, a possibilidade de conquistar medalha na competição é bem remota. "De maneira geral, hoje vamos para competir em várias modalidades. Na patinação artística, de 30 atletas, estamos tentando ficar entre as 15 mais bem colocadas. No bobsled é a mesma coisa, se a equipe tiver consistência ela pode brigar entre os dez", disse Matheus Figueiredo, presidente da Confederação Brasileira de Desportos no Gelo (CBDG). 

"A Isabel Clark, do snowboard, teve um ótimo ciclo olímpico e vai com grande chance de ter uma performance diferenciada. E Michel está numa modalidade que é muito competitiva, mas ele vem tendo um bom desempenho internacional", explicou Figueiredo.

O dirigente lembrou que o Brasil já é visto como uma delegação que está no evento por méritos próprios e garante que os competidores vem conseguindo mostrar qualidade nas provas fora do País. "Acho que saímos do fim da fila para competir em situações interessantes e com chance de bater até países mais tradicionais em algumas modalidades", comentou o dirigente do País.

Para Pedro Cavazzoni, CEO da Confederação Brasileira de Desportos na Neve (CBDN), os atletas brasileiros vão chegar à Coreia do Sul com a equipe mais qualificada da sua história. "Depois de um ciclo olímpico de trabalho intenso, os atletas que representarão o País são todos atuais recordistas nacionais de suas modalidades. Outro ponto interessante foi a classificação do jovem Michel Macedo para todas as provas do esqui alpino", disse Cavazzoni.

"A delegação conta ainda com as experientes atletas Isabel Clark e Jaqueline Mourão, que chegam em 2018 no auge de sua preparação física e técnica", festeja, com orgulho e esperança. "Com tudo isso, a expectativa para o frio coreano é boa, com objetivo de quebrar os principais recordes do Brasil em Jogos Olímpicos", completou.