Correio do Povo | Notícias | Rafaela Silva leva o ouro no Grand Prix de Budapeste

Porto Alegre

28ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quarta-feira, 17 de Outubro de 2018

  • 10/08/2018
  • 15:25
  • Atualização: 15:28

Rafaela Silva leva o ouro no Grand Prix de Budapeste

Campeã olímpica no Rio de Janeiro derrotou a alemã Thersa Stoll por ippon

Campeã olímpica no Rio de Janeiro derrotou a alemã Thersa Stoll por ippon | Foto: Gabriela Sabau/ @IntJudoFed / Divulgação / CP

Campeã olímpica no Rio de Janeiro derrotou a alemã Thersa Stoll por ippon | Foto: Gabriela Sabau/ @IntJudoFed / Divulgação / CP

  • Comentários
  • AE

A brasileira Rafaela Silva brilhou no primeiro dia do Grand Prix de Judô de Budapeste. Nesta sexta-feira, a peso leve (57kg) conquistou a sua primeira medalha no Circuito Mundial da modalidade em 2018. E ela foi de ouro, com a vitória sobre a alemã Thersa Stoll na final, definida por ippon. Antes, nas etapas preliminares, Rafaela havia conquistado todos os seus triunfos com o principal golpe do judô. 

Foi desse modo que a brasileira derrotou a norte-americana Leilani Akiyama na rodada de estreia. Depois, então, ela superou a polonesa Julia Kowalczyk, nas oitavas de final, e a canadense Christa Deguchi, nas quartas. Essa última vitória foi expressiva porque a judoca do Canadá estava invicta há 26 lutas no circuito. E o resultado lhe deu o embalo necessário para derrotar a húngara Hedvig Karakas nas semifinais, em combate definido por waza-ari e que antecedeu a vitória que lhe assegurou a medalha de ouro em Budapeste.

"Estou voltando às competições agora. Na primeira não deu. Na segunda foi na trave. Não era possível que na terceira não viria uma medalha", brincou Rafaela ao comemorar o seu feito nesta sexta-feira. Agora, com a confiança elevada por esse título, Rafaela vai intensificar a sua preparação para o Mundial de Judô, que será realizado em Baku, no Azerbaijão, entre os dias 20 a 27 de setembro.

"Acho que depois dos treinos no Japão e na Espanha vi bastante evolução. Em Zagreb já vi evolução de algumas coisas que venho treinando. Voltei para o Brasil, arrumei uns detalhes nos treinos técnicos com a sensei Yuko Fujii e vim atrás da medalha. Ser campeã na última competição antes do Mundial dá até um gás para treinar e ver que o caminho é esse", completou.

Os demais brasileiros que competiram nesta sexta-feira em Budapeste foram eliminados precocemente. Também pelo peso leve, Kamila Silva venceu a eslovena Viktoria Majorosova por ippon, mas perdeu nas oitavas de final para a ucraniana Mariia Skora. Sem participar de um evento internacional desde 2016, Nathália Brígida (48kg) venceu a espanhola Laura Abelenda por waza-ari no seu retorno, mas parou na sequência na argentina Paula Pareto, campeã olímpica, também por waza-ari. Raphael Miaque (60kg) perdeu na sua primeira luta e por ippon para o israelense Alon Rahima. Já Diego Santos (66kg) conseguiu duas vitórias, sobre o norte-americano Alaa El Idrissi e o bielo-russo Dzmitry Minkou, mas foi eliminado nas oitavas de final pelo irlandês Nathon Burns. O Grand Prix de Budapeste vai até domingo.

Neste sábado, o Brasil será representado por sete judocas, sendo eles Yanka Pascoalino (63kg), Ellen Santana (70kg), Amanda Oliveira (70kg), Marcelo Contini (73kg), Lincoln Neves (73kg), Leandro Guilheiro (81kg) e João Pedro Macedo (81kg).


TAGS » Judô