Correio do Povo - O portal de notícias dos gaúchos | Versão Impressa

Porto Alegre

23ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quinta-feira, 13 de Dezembro de 2018

Cidades > Capa

ANO 115 Nº 149 - PORTO ALEGRE, SEXTA-FEIRA, 26 DE FEVEREIRO DE 2010

Ladrões levam o sino da Igreja Matriz de Rio Pardo

 Padre Hilário Gonçalves lamenta roubo da peça que anunciava as celebrações na igreja Santo Amaro, sede da Paróquia São Nicolau | Foto:  janaína zílio / gazeta do sul / cp

Padre Hilário Gonçalves lamenta roubo da peça que anunciava as celebrações na igreja Santo Amaro, sede da Paróquia São Nicolau | Foto: janaína zílio / gazeta do sul / cp

Padre Hilário Gonçalves lamenta roubo da peça que anunciava as celebrações na igreja Santo Amaro, sede da Paróquia São Nicolau
Crédito: janaína zílio / gazeta do sul / cp



Os moradores do bairro Boa Vista, no município de Rio Pardo, desde domingo não ouvem mais o sinal que anunciava as celebrações na Igreja Matriz Santo Amaro, sede da Paróquia São Nicolau. Ladrões levaram o sino à direita da entrada do templo, com peso aproximado de 100 quilos e 50 centímetros de altura. A peça em bronze faz parte da igreja desde a sua inauguração, em 1964.

O padre Hilário Gonçalves informa que o sino ainda soou na missa da Quarta-feira de Cinzas. No último domingo, o ministro Marino Norberto Reis foi ao templo para fazer as batidas com o objetivo de anunciar a tradicional celebração do fim de semana e não encontrou mais a peça. O padre diz que o furto provavelmente tenha ocorrido à noite, pois defronte do templo há um ponto de táxi que funciona até as 22h. Não existem marcas no chão indicando a queda do sino, sinal de que várias pessoas participaram do furto para ajudar na remoção.

A peça ficava presa com um anel a uma barra de ferro no interior de uma estrutura externa do templo, a 3 metros de altura. Conforme o padre, os moradores do bairro estavam acostumados com o badalar todas às quartas-feiras à noite, entre março e dezembro, e nas manhãs de domingo, meia hora antes das missas e no início das celebrações. Hilário diz que a comunidade ficou revoltada, pois o sino fazia parte da rotina do bairro. O delegado de Polícia Pablo Queiroz Rocha informa que o caso ainda está sendo investigado pela equipe da DP. Segundo ele, normalmente este tipo de furto ocorre visando o derretimento do objeto para aproveitamento do metal.

O padre conta que outras comunidades da paróquia também estão revoltadas com as ações de ladrões. Há um mês, foi arrombada a porta lateral da igreja Santa Terezinha, no bairro Ramiz Galvão. Desapareceram do local aparelhos de som, microfone, cálice, mesa, cadeiras, toalhas e outros objetos. A invasão ocorreu em duas noites seguidas.

Ladrões também entraram na igreja São Nicolau, de onde levaram ventiladores e a caixa de coleta com dinheiro. Eles queimaram uma toalha e deixaram objetos espalhados pelo chão. Hilário diz que recomenda aos fieis que ajudem a cuidar as casas dos vizinhos e comuniquem as suspeitas à Delegacia de Polícia.