Correio do Povo - O portal de notícias dos gaúchos | Versão Impressa

Porto Alegre

31ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quarta-feira, 23 de Janeiro de 2019

Jornal > Luiz Carlos Reche

ANO 116 Nº 150 - PORTO ALEGRE, DOMINGO, 27 DE FEVEREIRO DE 2011

Confusão geral

Corinthians, Goiás, Coritiba e o cariocas estão ameaçando negociar em separado suas cotas de televisão. E até o Grêmio, que pretende ser sede da Copa de 2014 para agradar à OAS. Que valor vai ter essa negociação? E quando for jogo contra um integrante do Clube dos 13, como fica? A verdade é que a pressão da Globo sobre os clubes é impressionante. Na quarta feira, em entrevista à Rádio Guaíba, Fábio Koff deixou claro que os clubes estão sendo minados. E tem mais: ele só saiu a negociar e estabelecer valores com autorização dos clubes. E duvido que alguém vá arrecadar mais dinheiro. É hora de os Conselhos Fiscais dos clubes intervirem, pois, do contrário, estarão sendo coniventes com uma situação que só é boa para a emissora de TV que quer pagar o que bem entende. Nunca vi brigar para ganhar menos. E o Cade?

Odone x Koff

Odone sempre quis ter o mesmo reconhecimento de Koff. Odone não é Koff. Um é duas vezes Campeão da América e Campeão do Mundo. O outro tirou o Grêmio de uma Segundona e venceu a primeira Copa do Brasil. Os dois são gigantes, mas ninguém é nada na marra. Koff sempre será o maior dirigente da história do Grêmio e isto incomoda a alguns. Espero que briga de beleza não influencie na decisão do Grêmio em pretender sair do Clube dos 13. Seria o fim da picada. E querer ser sede da Copa e contar com a parceria da CBF criaria um clima horrível na aldeia. Tem que ganhar na categoria.

Curiosidade

Há poucos dias, o Grêmio foi convidado para os 100 anos do San Lorenzo de Almagro. O representante do clube, me disseram, foi alguém de torcida organizada. Se é verdade, é a capa da gaita.

Rodolfo

O gol que Rodolfo quase fez do meio de campo foi o tão sonhado por Pelé. Foi uma jogada linda, e só não entrou por azar. E depois dizem que isto não existe no futebol. Aquilo ali foi o quê?

Responsabilidade

Celso Roth tem responsabilidade em tudo que aconteceu no Inter. Se for diferente, posso chegar à conclusão que Fossati tem maior mérito na conquista da Libertadores. Celso foi campeão da Libertadores, mas não perdeu Brasileiro, Mundial e Gauchão (primeira fase)? Aí é fácil. Perdeu sim. Foi ele que fez o planejamento junto com Fernando Carvalho. Ambos venceram o bi da Libertadores e têm culpa no que aconteceu depois. Ou não? Pimenta nos olhos dos outros é colírio.

Coincidências

Odone foi chefe da delegação em Brasil e França. Agora, Grêmio ameaça sair do Clube dos 13. Andrés Sanchez foi comandante da delegação na Copa, Corinthians quer pedir licença do Clube dos 13, Patrícia Amorim ganha um título de graça (87) e lidera movimento no Rio. Só coincidências, claro. Perguntar não ofende: CBF e Globo é a mesma coisa?

Estatuto

Se o presidente Paulo Odone quiser mesmo sair do Clube dos 13 terá que consultar o Conselho Deliberativo do Grêmio. Está escrito lá no artigo 65, parágrafo XXVI, sobre a responsabilidade do Conselho: "Pronunciar sobre qualquer negociação que envolva comprometimento financeiro, alienação de patrimônio, ou renúncia de receitas em valor superior a 10% do valor do exercício. É o caso. E o Conselho ficará contra Koff?

Por onde anda

Altemir. Lateral-direito de mais de uma década no Grêmio. Ganhou 12 em 13 títulos estaduais que disputou, da época em que Gauchão valia, e muito. Altemir Marques Cruz nasceu em 10/10/38, em Curitiba, no Paraná. Pai de Daniel e Evelise. Tem três netos. Em 2003 colocou os pés na Calçada da Fama, numa festa bonita, onde reviu muitos companheiros da época vitoriosa no Tricolor. Em seus passeios pelo Rio Grande faz questão de se reunir com Joãozinho, amigo de longa data e de convivência fraternal no Grêmio. Depois que largou o futebol trabalhou muitos anos em venda, especialmente no comércio. Sobre ter ganho dinheiro ou não com a bola disse que a inflação comia os salários. Chegou ao Grêmio com 21 anos. Anteriormente, atuou no Atlético do Paraná e encerrou no Aimoré, onde atuou por três meses, tendo como companheiro, entre outros, Luiz Felipe Scolari. Em toda passagem pelo Grêmio teve apenas quatro técnicos: Foguinho, Froner, Luiz Engle e Sérgio Moacir.

História da vida

Lauro José de Quadros é um dos radialistas mais completos do Rio Grande do Sul. Voz bonita, bom colega. Convivi pouco com ele e nunca trabalhamos juntos, mas os que acompanharam sua trajetória só tecem elogios. Já em fim de carreira, como comentarista de jogos, Lauro fazia contagem regressiva para largar. Lembro dos bretes nos Estados Unidos, eu correndo de um lado pro outro e o Laurinho resmungando por ter que encarar a exaustiva jornada. Não tinha mais saco. Muitos acham que ir a estádio, entrevistar jogadores, é uma rotina tranquila. Não é. Lauro largou e nunca mais foi a campo. Como chefe de equipe convidei duas vezes Lauro para voltar às jornadas. Na última propus que escolhesse o que queria fazer, mas ele está a fim de trabalhar pouco, ganhar bem e curtir os netos. Segue brilhando no rádio, mas sem comentar jogos. Lauro figurou numa inesquecível equipe da Guaíba que chegava a índices de 95% de audiência.

Luiz Carlos Reche

lcr@radioguaiba.com.br





LUIZ CARLOS RECHE > correio@correiodopovo.com.br