Porto Alegre

25ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, segunda-feira, 22 de Janeiro de 2018

Vitrine > Capa

ANO 117 Nº 324 - PORTO ALEGRE, DOMINGO, 19 DE AGOSTO DE 2012

Dependência em cápsulas

 | Foto: cp memória

| Foto: cp memória


Crédito: cp memória

Um levantamento realizado pelo Centro de Controle de Prevenção e Doenças (CDC) dos Estados Unidos, assim como pesquisas no Brasil, apontam para uma realidade preocupante: o vício em remédios. Os principais vilões são analgésicos (comuns ou opioides), anti-inflamatórios, anfetaminas e ansiolíticos (calmantes). As substâncias anfetamínicas, frequentemente usadas para emagrecer, como o femproporex, podem levar ao mesmo grau de dependência da cocaína. Mas mesmo os "inocentes" remédios para dor de cabeça ou nas costas, rotineiramente usados, podem causar danos à saúde. Segundo um trabalho feito pelo neurologista Ariovaldo Alberto Junior, diretor da Sociedade Brasileira de Cefaleia, usar remédios para dor de cabeça continuadamente pode causar efeito rebote. "Ou seja, as pessoas passam a ter dor de cabeça diariamente, por conta do uso abusivo de analgésicos", relata o especialista.

A lista de prejuízos provocados pela ingestão excessiva de remédios contra a dor de cabeça é mais ampla. "O abuso pode causar lesão renal ou sangramento gastrointestinal", alerta a neurologista Norma Fleming. Complicações hepáticas, surdez após os 60 anos e interferências na formação de células do sangue são outros efeitos.

Segundo o psiquiatra Deyvis Rocha, no Brasil, os principais causadores de dependência são as anfetaminas e os calmantes. Quando os remédios acabam, os dependentes costumam sentir taquicardia e tremores. "O tratamento da farmacodependência é feito individualmente e em etapas, começando com a desintoxicação, ou desmame", afirma. Psicoterapia, atendimento familiar, terapia comportamental e psicossocial são parte do processo. Há risco de se desenvolver outros tipos de dependência, como o alcoolismo. Já os narcóticos (analgésicos opioides) são apontados como responsáveis por morte por overdose nos Estados Unidos, o que tem ocorrido inclusive com celebridades. Entre eles, estão a hidrocodona (usada pelo personagem principal do seriado "House"), oxicodona e a codeína, além da conhecida morfina.