Carros voadores tentam “decolar” no Salão do Automóvel de Genebra

É um sonho mostrado em várias ocasiões no cinema, que poderá se tornar realidade no ano que vem, quando decolar o primeiro carro voador particular. Até lá, uma empresa holandesa apresenta seu modelo comercial no Salão do Automóvel de Genebra. O modelo “Liberty”, primeiro carro voador no mercado, do fabricante holandês Pal-V, começará a ser entregue em 2019. O “Liberty” está vendendo como pão quente e atualmente o tempo de espera é de dois anos.

Uma aliança entre Airbus, Audi e Italdesign apresenta em Genebra um projeto similar de veículo voador autônomo, o “Pop.Up Next”, que será comercializado em 2025. A Pal-V diz que o projeto nasceu de uma “frustração”. “Quando você viaja de avião, decola de um lugar do qual não quer partir e aterrissa em outro que não é o seu destino”, explica Robert Dingemanse, presidente da empresa.

 

“O Pal-V é o produto perfeito para a mobilidade entre as cidades. Fora das cidades voa, na cidade roda”, explica. O veículo de três rodas (duas atrás, uma na frente) tem um rotor retratável que lhe permite voar como um helicóptero. Funciona com um motor a gasolina, tem autonomia para 500 km no ar e 1.900 km em estrada, e atinge uma velocidade máxima de 160 km por hora. Para decolar, “você pode utilizar as 10.000 pistas disponíveis na Europa, e como você pode rodar, isso é suficiente”, explica o holandês Robert Dingemanse. “Cada alemão tem um pequeno aeródromo a 10 ou 20 km de sua casa”, acrescenta Robert Dingemanse. O preço do veículo vai de 300.000 a 500.000 euros, aos que se deve somar entre 10.000 e 20.000 euros para a formação do piloto, explica Dingemanse.

“É o preço de um pequeno helicóptero, mas a utilização é mais fácil e a manutenção menos cara”, afirma.

 

Transporte compartilhado

O projeto “Pop.Up Next” é totalmente diferente. O veículo se parece com um teleférico futurista com três rotores e quatro rodas. A parte baixa do veículo, a que roda, e a parte alta, a que voa, se separam e podem se deslocar de forma autônoma. É um veículo totalmente elétrico, pensado como meio de transporte coletivo e urbano. “Não é pensado para particulares”, indica Mark Cousin, chefe de projeto na Airbus, encarregado da parte voadora do “Pop.Up Next”. A subsidiária da Volkswagen Italdesign, por trás do projeto, desenvolveu a cabine de passageiros, e a parte de baixo motorizada foi feita com base na tecnologia de condução autônoma da Audi. A Airbus quer realizar os primeiros testes nas cidades antes de 2022 e pensa em outras aplicações, como o transporte noturno ou o traslado de pacientes entre hospitais.

“A convergência de determinadas tecnologias, sobretudo as de bateria e de motores elétricos, permite fabricar veículos deste tipo, algo impossível há cinco ou dez anos”, diz Cousin. Os carros voadores são “um lindo conceito, diz à AFP Ferdinand Dudenhoffer, diretor do Center Automotive Research, baseado na Alemanha. Mas tendo em conta a densidade do tráfego aéreo, “é difícil imaginar que o céu estará cheio de pratos voadores”, diz.

 

 

Fonte: AFP
Fotos: Fabrice Coffrini / AFP / CP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *