Porto Alegre, domingo, 23 de Novembro de 2014

  • 04/10/2010
  • 17:01
  • Atualização: 17:37

Prédio da antiga Livraria do Globo será tombado pelo Patrimônio Histórico

Edifício fica na na Rua dos Andradas, no chamado Centro Histórico da Capital

Prédio da antiga Livraria do Globo será tombado pelo Patrimônio Histórico  | Foto: Cristiano Estrela

Prédio da antiga Livraria do Globo será tombado pelo Patrimônio Histórico | Foto: Cristiano Estrela

  • Comentários
  • Luciamem Winck / Correio do Povo

O prédio da antiga Livramento do Globo, localizado na Rua dos Andradas, no chamado Centro Histórico de Porto Alegre, será tombado em no máximo 60 dias pela Equipe do Patrimônio Histórico e Cultural (Epahc), da Secretaria Municipal da Cultura. O anúncio foi feito nesta segunda pela diretora do Epahc, Débora Regina Magalhães da Costa, acrescentando que o procedimento administrativo visando ao tombamento já se encontra em andamento. Lembrou que o imóvel foi construído em 1924 e abrigou a livraria até 2007, sendo posteriormente repassado a uma loja de calçados.

“A edificação tem um valor inegável”, sintetizou. Débora ressaltou que, no passado, o imóvel era um espaço de encontro de grandes escritores, como Erico Veríssimo e Mário Quintana. “Também eram frequentado por intelectuais, servindo de palco para importantes debates sobre a vida política, econômica e cultural do Estado e do país”, disse.Tão logo ocorra o tombamento, o prédio passará por completa revitalização. A restauração foi definida por meio de termo de ajustamento de conduta (TAC), formalizado entre o Ministério Público, os proprietários e locatários do imóvel e a Prefeitura.

O promotor de Justiça Carlos Paganella, do Centro de Apoio Operacional de Defesa do Meio Ambiente, revelou que a medida foi adotada devido à descaracterização do patrimônio histórico-cultural. Segundo ele, um inquérito civil foi instaurado para garantir a adequação do uso comercial do prédio por uma loja de calçados. “Asseguramos a preservação da arquitetura da fachada e da memória histórica que a antiga livraria representou para Porto Alegre”, enfatizou.

Entre os elementos que devem ser destacados está uma escultura, em ferro, de mulher e de um menino com o globo terrestre, e a inscrição encomendada em latim “Urbi et orbi”, que significa “à cidade e ao mundo”, localizada no ponto mais alto do prédio. O nome “Livraria do Globo”, em letras de bronze sobre uma placa em mármore carrara italiano, caracterizado por elementos neoclássicos, igualmente deverá ser restaurada.

A tinta que será utilizada para revitalização da fachada é à base de silicato de potássio, produto que evita microfissuras, mofo e manchas provocadas pela umidade, sem elementos voláteis, e é 100% ecológica. Paganella defendeu a necessidade de adoção de medidas que garantam a harmonia entre a exposição dos produtos comerciais e a comunicação visual do prédio com as linhas arquitetônicas do imóvel. O prazo máximo de execução do projeto arquitetônico e de restauração será de 12 meses a contar da aprovação nos órgãos municipais.



Bookmark and Share


TAGS » Geral