Correio do Povo

Porto Alegre, 24 de Abril de 2014


Porto Alegre
Agora
14ºC
Amanhã
11º 22º


Faça sua Busca


Notícias > Geral > Educação

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

14/03/2012 19:32 - Atualizado em 14/03/2012 19:50

Paralisação atinge pelo menos 27% das escolas, diz governo

Cpers afirma que 90% das instituições pararam nesta quarta para pedir o cumprimento do piso

Balanço da Secretaria Estadual da Educação aponta que pelo menos 694 escolas paralisaram as atividades nesta quarta-feira diante do início do protesto de três dias pelo cumprimento do Piso do Magistério. Conforme o governo do Estado, das 2.572 escolas, 27% pararam totalmente os trabalhos e 24% de forma parcial. Os números do Cpers indicam maior adesão. Para a entidade, a paralisação atingiu 90% das escolas gaúchas, que recebem 1,1 milhão de alunos.

Para a presidente do sindicato, Rejane de Oliveira, o manifesto é positivo diante da adesão de escolas que não tinham o hábito de paralisar. A principal bandeira da categoria é o pagamento do piso de R$ 1.451 e também defender maior investimento público em Educação, com a previsão de 10% do PIB no Plano Nacional de Educação (PNE).

Em nota, a Secretaria diz que respeita a opção da manifestação por professores e funcionários, mas orienta que seja feito o fiel registro da realidade da escola quanto à efetividade de cada funcionário. Além disso, solicita que seja disponibilizado o registro do ponto dos professores e funcionários que, efetivamente, estiverem cumprindo sua carga horária e regime de trabalho. Além disso, as atividades da paralisação não podem ser consideradas letivas, mesmo que, eventualmente, envolvam alunos. Desta forma todas as aulas devem ser recuperadas.

De acordo com o Cpers/Sindicato, ao menos 20 escolas de Porto Alegre estiveram paralisadas, entre elas, o Colégio Júlio de Castilhos e o Instituto de Educação Flores da Cunha. A chuva também ajudou para que não ocorresse. Na sexta, a categoria realiza manifestação estadual, às 14 horas, em frente à Secretaria de Estado da Educação. Em seguida, às 16h, acontece um ato público unificado com outras categorias, em frente ao Palácio Piratini.


Fonte: Ronaldo Berwanger / Rádio Guaíba







O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.