Porto Alegre, sexta-feira, 28 de Novembro de 2014

  • 09/04/2012
  • 13:41
  • Atualização: 13:43

Presídio Central disponibiliza celas separadas para travestis

Parceria entre a Susepe e a ONG Igualdade-RS viabilizou a medida

  • Comentários
  • Rádio Guaíba

Uma parceria entre a Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) e a ONG Igualdade-RS viabilizou que travestis cumpram penas em celas separadas dos demais presos no Presídio Central, em Porto Alegre. Conforme a presidente da ONG, Marcelly Malta, o convívio com outros presos era marcado por humilhações, injúrias e pela ameaça constante de sofrer discriminação ou violência. "Levamos seis meses para executar o projeto de separação das celas, mas atualmente, nos espaços diferenciados, elas sentem-se mais felizes e com autoestima elevada", afirmou.

De acordo com a Susepe, medida semelhante só existe em Minas Gerais. As travestis estão formulando um projeto para que seja liberada a entrada de roupas íntimas e cremes na casa de detenção.

Conforme Analanda, 25 anos, e Tininha, 50 anos, travestis detentas e que colaboraram com o projeto, são necessários mais avanços no que diz respeito ao ambiente prisional. "Queremos ser vistas como ser humano, porque também temos sentimentos, famílias, direitos e amor próprio", disse Analanda. As duas foram ouvidas pela assessoria de imprensa da Susepe.

Bookmark and Share