Porto Alegre, quinta-feira, 18 de Dezembro de 2014

  • 26/09/2012
  • 21:52
  • Atualização: 21:58

Juiz do MS emite alvará de soltura para diretor do Google

Executivo foi detido por não retirar do YouTube vídeos contrários a candidato de Campo Grande

  • Comentários
  • Correio do Povo

O juiz Flávio Saad Perón, da 35ª Zona Eleitoral de Campo Grande (MS), enviou um alvará de soltura à Polícia Federal (PF) para liberar o diretor do Google no Brasil, Fábio José Silva Coelho. De acordo com o jornal Estado de São Paulo, ele deixou a sede da PF em São Paulo por volta das 21h.

Coelho, foi preso na tarde desta quarta-feira pela Polícia Federal em São Paulo, por não retirar vídeos da plataforma YouTube que atacam um candidato a prefeito às eleições municipais de outubro. A ação ocorreu em cumprimento a uma ordem judicial expedida pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Mato Grosso do Sul.

Segundo a PF, o executivo foi detido pelo crime de desobediência previsto no Código Eleitoral (Artigo 347), com pena de até um ano de detenção. Em nota, a PF disse que, por se tratar de um crime de menor potencial ofensivo, o diretor do Google não deve permanecer preso. "Apesar de trazido para a Polícia Federal, ele não permanecerá preso. Será lavrado um Termo Circunstanciado de Ocorrência, com a oitiva do conduzido e sua liberação após a assinatura do compromisso de comparecer perante a Justiça", informou a nota.

O TRE do Mato Grosso do Sul informou que o diretor do Google não retirou dois vídeos que contêm "calúnias, injúrias e difamações " contra Alcides Bernal, candidato a prefeito de Campo Grande. A Justiça Eleitoral do estado pediu ainda a suspensão do YouTube em Campo Grande e, caso não seja possível, em todo o estado por 24 horas.

Porém o Google diz que não é responsável pelo conteúdo. "O Google está apelando da decisão que determinou a remoção dos vídeos do YouTube porque, sendo uma plataforma, não é responsável pelo conteúdo publicado em seu site", disse um porta-voz da empresa.


Bookmark and Share