Correio do Povo

Porto Alegre, 24 de Abril de 2014


Porto Alegre
Agora
17ºC
Amanhã
12º 22º


Faça sua Busca


Notícias > Geral

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

12/10/2012 09:43 - Atualizado em 12/10/2012 10:40

Milhares de motociclistas participam de procissão em Porto Alegre

Condutores partiram do Centro e seguiram até o Porto Seco

Padroeira foi homenageada por motociclistas<br /><b>Crédito: </b> Mauro Schaefer
Padroeira foi homenageada por motociclistas
Crédito: Mauro Schaefer
Padroeira foi homenageada por motociclistas
Crédito: Mauro Schaefer

Milhares de motociclistas participaram, na manhã desta sexta-feira, da 38ª edição da procissão em homenagem a Nossa Senhora Aparecida, em Porto Alegre. O grupo partiu às 8h da avenida Loureiro da Silva em direção ao Porto Seco, na zona Norte. Segundo a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), o número de motos ficou entre 30 e 40 mil. Não houve registro de acidentes durante o percurso. No Porto Seco, os fieis assistiram a uma celebração em homenagem à padroeira do Brasil e da categoria.

Além de pedir proteção, os motociclistas também buscam a padroeira para agradecer. O mecânico de motocicletas Abílio Ribeiro Aguiar, de 57 anos, já sofreu vários acidentes. Com sequelas, ele ainda se recupera da última colisão, mas mesmo assim não deixa de ir à romaria. “Venho desde a época do padre Peters (idealizador do evento)”, ressaltou. A razão, ele atribuiu à importância da motocicleta na sua vida: “Para mim, moto é liberdade e o meu meio de vida”.

No caso do vendedor Éverson Adriano dos Santos, de 39 anos, a devoção a Nossa Senhora Aparecida é tanta que ele tatuou a imagem da santa nas costas. Assim, considera-se protegido para enfrentar a rotina diária do trânsito sobre duas rodas. “Caí apenas uma vez de moto e não quebrei um osso. Depois que comecei a frequentar a procissão, há quatro anos, não sofri nenhum acidente”, contou, após ter o capacete benzido no Porto Seco.

O diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari, destacou que o número de acidentes com moto caiu em 2012, mas que mesmo assim a conscientização será uma das prioridades para o próximo ano. “Temos de trabalhar para que a gente diminua cada vez mais o número de acidentes com motocicletas”, afirmou. Desde o início do ano, 24 motociclistas morreram em acidentes de trânsito na Capital, conforme a EPTC. Outros 3.161 ficaram feridos. Em todo o ano de 2011, foram 60 mortes e 4.597 feridos.


Trânsito foi bloqueado durante trajeto dos motociclistas na Capital / Foto: Mauro Schaefer

Bookmark and Share

Fonte: Danton Júnior / Correio do Povo







O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.