Porto Alegre, segunda-feira, 22 de Dezembro de 2014

  • 04/11/2013
  • 21:46
  • Atualização: 21:49

Congresso entra no Novembro Azul de combate ao câncer de próstata

Parlamentares realizaram sessão solene nesta segunda-feira, no Senado

Congresso entra no Novembro Azul de combate ao câncer de próstata | Foto: Fábio Pozzebom / ABr / CP

Congresso entra no Novembro Azul de combate ao câncer de próstata | Foto: Fábio Pozzebom / ABr / CP

  • Comentários
  • Agência Brasil

Deputados e senadores lançaram nesta segunda-feira no Congresso Nacional a campanha Novembro Azul, de combate ao câncer de próstata. Uma sessão solene, requerida pela senadora gaúcha Ana Amélia (PP) e pela deputada Rose de Freitas (PMDB-ES), promoveu no Senado o debate sobre a necessidade de os homens procurarem as unidades de saúde para fazer exames preventivos da doença.

Na abertura da sessão, a deputada Rose de Freitas ressaltou que 90% dos homens diagnosticados já estão com a fase avançada da doença. Segundo ela, isso se deve ao fato de que a maioria deles nunca vai ao médico e tem preconceito quanto ao exame de próstata (toque retal). “É preciso tirar esse preconceito da cabeça dos homens, e as mulheres precisam falar sobre isso, dizer a eles que isso não é perda de masculinidade, de virilidade, para eles terem consciência da necessidade de cuidarem da saúde”, argumentou a deputada.

A senadora Ana Amélia lembrou que o Brasil já promove a campanha Outubro Rosa, para a prevenção ao câncer de mama, e tem o mesmo objetivo com o Novembro Azul. Segundo ela, homens e mulheres precisam se conscientizar sobre a identificação das duas doenças ainda no início. “Assim como o câncer de mama, nas mulheres, é a segunda doença que mais mata, depois das doenças cardíacas, o câncer de próstata, para os homens, equivale ao câncer da mulher, porque é o que mais mata depois das doenças cardíacas”, disse a senadora.

A sessão durou cerca de uma hora e meia e terminou com o acender de luzes azuis que tingiram temporariamente a fachada do do Congresso Nacional. O presidente do Congresso, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), não presidiu toda a sessão porque esteva em reunião com a presidenta Dilma Rousseff . No entanto, ele encerrou o evento.

“Meu pai faleceu acometido por um câncer de próstata. Isso me faz trabalhar para que haja uma prevenção mais efetiva da doença”, disse Renan.

O câncer de próstata não apresenta sintomas na fase inicial, por isso a necessidade de avaliação periódica do médico especializado. Quando o tumor cresce, ele pode provocar sintomas como a necessidade urgente de urinar a todo instante, mas alguns pacientes podem nunca sentir nada. Dados da Sociedade Brasileira de Urologia apontam que um em cada seis homens terá câncer de próstata. A doença atingiu 60 mil pessoas em 2012.

Bookmark and Share


TAGS » Política