Correio do Povo

Porto Alegre, 24 de Abril de 2014


Porto Alegre
Agora
17ºC
Amanhã
12º 22º


Faça sua Busca


Notícias > Geral

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

04/12/2013 21:59 - Atualizado em 04/12/2013 22:29

CNE apresenta proposta de reformulação do curso de medicina

Currículo proposto busca preparação de estudantes para pós e residência médica

O Conselho Nacional de Educação (CNE) apresentou, nesta quarta-feira, proposta de reformulação das diretrizes curriculares do curso de medicina aos ministérios da Educação (MEC) e da Saúde. As alterações estão previstas no Programa Mais Médicos e devem ser definidas até abril de 2014. A partir de agora, o documento deve ser apresentado a instituições de ensino, professores e entidades ligadas à medicina em audiências públicas e ainda pode sofrer alterações.

A intenção é que a graduação prepare os estudantes para a pós-graduação e para a residência médica, que deverá ser ofertada a todos os médicos formados a partir de 2019. Atualmente, segundo o MEC, cerca de 50% dos graduados fazem residência. O ponto polêmico na discussão, a obrigatoriedade de os estudantes cursarem dois anos a mais na graduação, que deveriam ser voltados para a formação na atenção básica, não foi aprovado pelo Congresso Nacional. A atenção básica deve, no entanto, ganhar mais destaque na graduação.

"Não estamos propondo grandes modificações. O que estamos tentando fazer é reescrever as diretrizes de 2001 (vigentes) de tal maneira que fique bem claro o que queremos que o médico aprenda e qual a relação desses profissionais graduados com a pós-graduação e a residência médica", diz o presidente do CNE, José Lima. Segundo Lima, as pastas fizeram sugestões que serão incorporadas no documento. Medidas como avaliações durante a graduação ainda estão em discussão.

O Programa Mais Médicos busca a melhoria da saúde pública no Brasil. Prevê mais investimentos em infraestrutura dos hospitais e unidades de saúde, além de levar mais médicos para regiões onde há escassez e ausência de profissionais. No âmbito da educação, estão previstas 11.447 novas vagas de graduação em medicina, em instituições públicas e privadas.

O conselheiro do CNE e presidente do Fórum de Educação Superior, Luiz Roberto Curi, relata que o Programa Mais Médicos marca um período de valorização da expansão do ensino superior como sinônimo de desenvolvimento. "Expansão não é mais uma operação de balcão. Buscamos a interação com a sociedade", disse. Segundo ele, o programa representa o diálogo das universidades com as agendas nacionais.


Bookmark and Share

Fonte: Agência Brasil







O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.