Correio do Povo

Porto Alegre, 23 de Abril de 2014


Porto Alegre
Agora
21ºC
Amanhã
13º 22º


Faça sua Busca


Notícias > Internacional

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

10/12/2013 09:17 - Atualizado em 10/12/2013 09:22

Sul-africanos e o mundo se despedem de Nelson Mandela

Celebração no estádio Soccer City abre cinco dias de homenagens antes do sepultamento

Celebração em estádio abre cinco dias de homenagens<br /><b>Crédito: </b> Odd Andersen / AFP /CP
Celebração em estádio abre cinco dias de homenagens
Crédito: Odd Andersen / AFP /CP
Celebração em estádio abre cinco dias de homenagens
Crédito: Odd Andersen / AFP /CP

Dezenas de milhares de sul-africanos de todas as raças e vários chefes de Estado e de Governo se despedem nesta terça-feira, em uma cerimônia com cantos e dança, de Nelson Mandela, o homem que venceu o apartheid com uma mensagem de reconciliação.

Em um dia de chuva, a cerimônia no estádio de Soweto começou com o hino nacional, "Nkosi sikelel' iAfrika" ("Que Deus abençoe a África"), que foi cantado com orgulho em homenagem ao ex-presidente e prêmio Nobel da Paz, falecido na quinta-feira passada aos 95 anos.

"Na tradição africana, quando chove isto significa que os deuses estão te recebendo e que as portas do céu provavelmente também estão se abrindo", afirmou o secretário-geral do Congresso Nacional Africano (ANC, partido de Mandela), Cyril Ramaphosa.

A presidente brasileira, Dilma Rousseff, está entre as autoridades estrangeiras que discursarão na cerimônia, assim como o presidente americano Barack Obama e o cubano Raúl Castro. Os outros oradores estrangeiros serão o vice-presidente chinês Li Yuanchao, o presidente indiano Pranab Mukherjee e Hifikpunye Pohamba, da Namíbia. Quatro netos de Mandela - Mbuso, Andile, Zozuko Dlamini e Phumla - também devem discursar na cerimônia.  

Dezenas de milhares de pessoas caminharam durante a madrugada para o estádio Soccer City, no qual Mandela fez a última grande aparição pública em 11 de julho de 2010, antes da final da Copa do Mundo de futebol entre Espanha e Holanda.

A celebração abre cinco dias de homenagens antes do enterro, no próximo domingo em Qunu, localidade onde Mandela passou uma infância feliz e que abandonou após a morte do pai. Simultaneamente aos atos de terça-feira foi celebrada uma pequena homenagem na prisão de Robben Island, onde Mandela passou 27 anos detido antes de ser liberado em 1990, para ser eleito presidente em 1994 e guiar a África do Sul a uma transição pacífica do regime racista do apartheid à democracia multirracial. 

Bookmark and Share


Fonte: AFP







O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.