Correio do Povo

Porto Alegre, 21 de Abril de 2014


Porto Alegre
Agora
16ºC
Amanhã
18º 27º


Faça sua Busca


Notícias > Polícia

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

11/12/2013 17:36 - Atualizado em 11/12/2013 17:57

Ministro descarta aumentar segurança com legalização da maconha no Uruguai

José Eduardo Cardozo destacou êxitos do atual plano de fronteiras

Setores da população uruguaia se mobilizaram durante análise da lei<br /><b>Crédito: </b> Pablo Porciuncula/AFP/CP
Setores da população uruguaia se mobilizaram durante análise da lei
Crédito: Pablo Porciuncula/AFP/CP
Setores da população uruguaia se mobilizaram durante análise da lei
Crédito: Pablo Porciuncula/AFP/CP

Ao comentar a legalização da maconha no Uruguai, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, afirmou nesta quarta-feira que não serão necessárias novas medidas para garantir a segurança na fronteira do país com o Brasil. “O nosso plano de fronteiras já tem êxitos indiscutíveis do ponto de vista de apreensão e fiscalização. É uma área que o Brasil está cuidando, independentemente das políticas adotadas em qualquer país de nossa fronteira”, disse o ministro.

Cardoso relatou que cada país segue sua dinâmica nas discussões sobre a legalização da droga. “O Uruguai está seguindo este caminho e o Brasil segue o seu. Isso tem que ser respeitado. A discussão continua na sociedade, existe a experiência em vários países e os governos vão avaliando e participando dos debates para tomar as medidas que acharem necessárias”, opinou o ministro no lançamento do Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública, Prisionais e sobre Drogas, o Sinesp.

Apesar da tranquilidade do ministro, o organismo de controle de drogas da ONU lamentou nesta quarta a decisão uruguaia. As Nações Unidas afirmaram que essa decisão viola as normas internacionais e pode revelar-se contrária aos fins do governo. 

Sobre os recentes episódios de violência na Arena Joinville, Cardozo contou que vai se reunir com o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, para discutir uma política unificada de segurança nos estádios brasileiros. Para ele o que aconteceu no último sábado é inaceitável. “É possível adotar experiências da Copa das Confederações, a serem implementadas nos estádios de forma permanente”, avaliou o ministro.

Segundo Cardozo, o plano de segurança para Copa do Mundo já foi testado na Copa das Confederações e está dentro das regras e dos padrões de eficiência da Fifa. Na reunião de amanhã serão discutidos apenas aspectos envolvendo os jogos dos campeonatos nacionais e estaduais, a definição dos papéis dos envolvidos – clubes, torcidas organizadas, prefeitura – e as alternativas para coibir a violência entre as torcidas nos estádios. “O que aconteceu em Joinville é repugnante e o Estado brasileiro não pode ficar omisso diante disso”.


Bookmark and Share

Fonte: Agência Brasil







O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.