Correio do Povo

Porto Alegre, 18 de Abril de 2014


Porto Alegre
Agora
22ºC
Amanhã
19º 26º


Faça sua Busca


Notícias > Geral

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

11/12/2013 19:39 - Atualizado em 11/12/2013 19:52

Análise de árvores da Capital só deve começar em janeiro

Cerca de 150 vegetais serão inspecionados, a maioria na Redenção

Árvore caiu no parque e vítima era titular da Vara do Trabalho de Porto Alegre<br /><b>Crédito: </b> Mauro Schaefer / CP
Árvore caiu no parque e vítima era titular da Vara do Trabalho de Porto Alegre
Crédito: Mauro Schaefer / CP
Árvore caiu no parque e vítima era titular da Vara do Trabalho de Porto Alegre
Crédito: Mauro Schaefer / CP

A empresa contratada para realizar a inspeção de árvores em Porto Alegre só deve começar a atuar em janeiro. A Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Smam) assinou o contrato com o Instituto de Pesquisas Tecnológicas de São Paulo (IPT). A contratada deve fazer a verificação interna e externa de 150 árvores em um período de três meses. A contratação, por dispensa de licitação, vai custar R$ 97 mil. A Smam espera o recebimento do cronograma de trabalho da empresa.

Segundo a secretaria, pelo menos 50 árvores do Parque da Redenção serão analisadas. Os vegetais do local já foram mapeados e os técnicos fazem o levantamento nos demais parques e praças da cidade. Na definição serão levados em conta aspectos como circulação de pessoas, existência de árvores de grande porte e de idade avançada.

Os técnicos utilizarão aparelhos como resistômetros e tomógrafos para verificar as condições internas das árvores. Atualmente, esse trabalho é feito pela Smam apenas na parte externa, a olho nu.

A contratação foi providenciado pela secretaria após a morte de um idoso há quatro meses em razão da queda de uma árvore na Redenção. No dia 31 de agosto, o juiz do Trabalho aposentado Lenir Heinen, de 64 anos, faleceu após ser atingido por um eucalipto de 25 metros. Outras três pessoas se feriram. O inquérito policial sobre o caso, porém, foi arquivado, já que, no entendimento da Polícia Civil, do Ministério Público e da Justiça, não era possível detectar o apodrecimento interno, causa da queda, a olho nu.

Bookmark and Share

Fonte: Camila Kila / Rádio Guaíba







O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.