Correio do Povo

Porto Alegre, 19 de Abril de 2014


Porto Alegre
Agora
23ºC
Amanhã
15º 24º


Faça sua Busca


Notícias > Internacional

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

25/12/2013 09:29 - Atualizado em 25/12/2013 12:20

Papa Francisco lembra dos excluídos em sua primeira Missa do Galo

Pontífice pediu fim de guerras na Síria e na África para cerca de 10 mil pessoas

<br /><b>Crédito: </b> FILIPPO MONTEFORTE / AFP

Crédito: FILIPPO MONTEFORTE / AFP

Crédito: FILIPPO MONTEFORTE / AFP

O Papa Francisco presidiu nesta terça-feira, pouco antes da meia-noite, e diante de milhares de fiéis, sua primeira Missa do Galo, na Basílica de São Pedro, durante a qual citou os excluídos e pediu que os católicos não temam um mundo marcado por "luzes e sombras". A tradicional missa durou menos de duas horas. 

Com o rosto sério, o Papa entrou na basílica em procissão, seguido pelos concelebrantes: 30 cardeais, 40 bispos, 250 sacerdotes e 14 diáconos. Na cerimônia, transmitida ao vivo para 65 países, Francisco pediu uma reflexão sobre os problemas que afetam o mundo.

Francisco lembrou "os últimos e os excluídos", prioridades de seu pontificado, iniciado há nove meses. O pontífice argentino disse que foram justamente os "últimos e excluídos" os primeiros que entenderam o alcance para a Humanidade do nascimento de Jesus, considerado o filho de Deus pelos cristãos.

"Os pastores foram os primeiros que receberam o anúncio do nascimento de Jesus. Foram os primeiros porque estavam entre os últimos, os marginalizados", disse o Papa em sua breve homilia.

Papa pediu fim de guerras na Síria

O papa pediu também o fim das guerras na Síria e na África e condenou o tráfico de seres humanos, ao considerá-lo um crime contra a humanidade. "Continuemos a pedir ao Senhor que poupe novos sofrimentos ao amado povo sírio", declarou.

"Muitas (vidas) dilacerou, nos últimos tempos, o conflito na Síria, fomentando ódio e vingança", reconheceu o pontífice, que dedicou em setembro um dia mundial de oração quando um ataque americano a este país parecia iminente. O argentino também pediu que o acesso à ajuda humanitária para a Síria seja garantido.

"Também em nossa história pessoal, alternam-se momentos luminosos e obscuros, luzes e sombras. Se amamos Deus e os irmãos, caminhamos na luz, mas se nosso coração se fecha, se prevalecem o orgulho, a mentira, a busca do interesse próprio, então as trevas nos rodeiam, interiormente e por fora", advertiu. "Esta noite, quando o espírito das trevas encobre o mundo, renova-se o acontecimento que sempre nos assombra e surpreende: o povo no caminho vê uma grande luz, Jesus veio nos libertar das trevas e nos dar a luz", acrescentou.

Aos milhares de peregrinos e turistas que assistiram à missa solene no maior templo do catolicismo, Francisco pediu que não temam, porque "nosso Pai tem paciência conosco, nos ama, é a luz que dissipa as trevas".

Após a eucaristia, o sumo pontífice colocou a imagem do menino Jesus em um presépio montado dentro da basílica, e um grupo de 10 crianças, representando os cinco continentes, depositou flores em homenagem à encarnação de Deus.

Bookmark and Share

Fonte: AFP







O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.