Correio do Povo

Porto Alegre, 17 de Abril de 2014


Porto Alegre
Agora
21ºC
Amanhã
19º 26º


Faça sua Busca


Notícias > Geral

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

26/12/2013 08:58 - Atualizado em 26/12/2013 09:06

Bombeiros alertam para riscos de banho e pesca no Sinos

No verão passado 19 pessoas morreram afogados no rio

Maioria dos acidentes ocorre em Campo Bom, Novo Hamburgo e Sâo Leopoldo <br /><b>Crédito: </b> Stephany Sander / Especial / CP
Maioria dos acidentes ocorre em Campo Bom, Novo Hamburgo e Sâo Leopoldo
Crédito: Stephany Sander / Especial / CP
Maioria dos acidentes ocorre em Campo Bom, Novo Hamburgo e Sâo Leopoldo
Crédito: Stephany Sander / Especial / CP

O 2º Comando Regional dos Bombeiros do Vale do Sinos corre contra o tempo. Desde o início do verão, no sábado, a corporação está percorrendo diariamente o Rio dos Sinos, de barco, a fim de alertar os moradores sobre os perigos de se banhar e pescar no manancial. A ação tem apenas um objetivo: diminuir os casos de afogamentos no rio, que no verão 2012/2013 chegaram a 19, todos com vítimas fatais.

Antes mesmo da alta temporada iniciar, o Rio dos Sinos já havia contabilizado uma vítima de afogamento. Um menino de 13 anos foi encontrado sem vida, após quase 24 horas de buscas realizadas pelos bombeiros de Novo Hamburgo e Campo Bom. O corpo foi resgatado na divisa dos bairros Canudos e Rondônia, em Novo Hamburgo. Ele se afogou ao tentar fazer a travessia do rio, a partir do bairro Feitoria, em São Leopoldo, na quinta-feira.

A questão preocupa o comandante tenente-coronel Vitor Hugo Konarsewscki, responsável pelo 2 Comando Regional dos Bombeiros. "As principais vítimas são crianças que moram em áreas mais baixas do Sinos, onde é possível acessar as águas para se banhar, aliviando o calor. São 100 quilômetros de extensão de leito na nossa área, sendo Campo Bom, Novo Hamburgo e São Leopoldo os pontos onde as pessoas têm acesso mais facilmente ao rio e, em consequência disso, temos mais casos de afogamentos." Konarsewscki explica também que não são disponibilizados salva-vidas nas margens do rio, pois a água não é própria para banho. "O rio tem profundidade de 3,5 metros, sendo que é considerado arriscado partir de 1,5 m."

O presidente do Comitê de Gerenciamento da Bacia Hidrográfica do Rio dos Sinos (ComiteSinos), Arno Kayser, explica que as águas do Sinos são classificadas pela Fepam como impróprias para banho, e por isso, o banho pode trazer problemas de saúde. Conforme ele, consumir os peixes do manancial também não é recomendado.

Bookmark and Share


Fonte: Stephany Sander / Correio do Povo







O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.