Correio do Povo

Porto Alegre, 24 de Abril de 2014


Porto Alegre
Agora
18ºC
Amanhã
12º 22º


Faça sua Busca


Notícias > Geral

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

26/12/2013 14:35 - Atualizado em 26/12/2013 14:36

Tarso Genro sanciona lei contra incêndios no Estado

Atualização do Plano de Prevençãoserá anual para casos de médio a grande risco

Tarso Genro sanciona lei contra incêndios no Estado<br /><b>Crédito: </b> Caco Argemi / Palácio Piratini / CP
Tarso Genro sanciona lei contra incêndios no Estado
Crédito: Caco Argemi / Palácio Piratini / CP
Tarso Genro sanciona lei contra incêndios no Estado
Crédito: Caco Argemi / Palácio Piratini / CP

O projeto de lei que trata sobre a prevenção e proteção contra incêndios no Rio Grande do Sul foi sancionado nesta quinta pelo governador Tarso Genro no Palácio Piratini. “Me sinto orgulhoso por sancionar e coordenar, a partir de agora, a regulamentação da lei”, ressaltou o governador. Autor da lei, o deputado Adão Villaverde, destacou alguns pontos do novo conjunto de normas. Segundo ele, entre as alterações da lei, a partir de agora, a atualização do Plano de Prevenção de Incêndios será anual para casos de médio a grande risco e, a cada três anos, para baixo risco de incêndio.

“Foram acrescentados novos parâmetros referenciais para projetos de prevenção a incêndio para além da área e altura, que era o que se usava. Vamos acrescentar mais ocupação e uso da edificação, quantidade de pessoas que frequentariam o local, controle de fumaça e carga de incêndio, que nada mais que é o potencial à combustão existente dentro da edificação”, destacou. Segundo Villaverde, as penalidades podem ser de três tipos: advertência, multa, interdição e embargo. “As três primeiras são de responsabilidade do Corpo de Bombeiros, enquanto que o embargo fica sob responsabilidade do órgão municipal”, esclareceu. Segundo ele, com a nova lei nenhuma edificação poderá entrar em funcionamento sem o Alvará de Prevenção e Proteção Contra Incêndio (APPCI).

O presidente da Assembleia Legislativa, Pedro Westphalen, destacou que a lei foi construída ouvindo a todos os segmentos da sociedade. “É o mínimo que podemos fazer em memória aos jovens que perderam a vida na tragédia da boate Kiss”, ressaltou o parlamentar com referência ao incêndio na boate Kiss, em Santa Maria, no dia 27 de janeiro deste ano, quando 242 pessoas morreram. O coronel Eviltom Pereira Diaz, comandante do Corpo de Bombeiros do Rio Grande do Sul, informou que com a nova lei muda a responsabilização dos entes envolvidos, incluindo o Corpo de Bombeiros, as prefeituras e os proprietários de casa de espetáculos. O Corpo de Bombeiros conta com 3,7 mil homens em atuação no Estado.

O Corpo de Bombeiros poderá ter, a partir de agora, um quadro técnico, que auxiliará na fiscalização e que não necessita vínculo com a Brigada Militar. Outra novidade são os brigadistas de incêndio, policiais que não serão necessariamente bombeiros e que estarão presentes em aglomerações a partir de 200 pessoas. As prefeituras gaúchas têm um ano para adaptação da nova lei e as edificações antigas que não passem por reformas, ampliação, mudança de categoria de risco, têm cinco anos de adaptação.

Bookmark and Share

Fonte: Cláudio Isaías / Correio do Povo





» Tags:Incêndio


O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.