Correio do Povo

Porto Alegre, 23 de Abril de 2014


Porto Alegre
Agora
14ºC
Amanhã
13º 23º


Faça sua Busca


Notícias > Polícia

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

31/12/2013 08:45 - Atualizado em 31/12/2013 09:13

Mulher é suspeita de matar mãe e ocultar corpo na garagem de casa

Crime ocorreu no bairro Jaboticabal em Passo Fundo

Crime ocorreu no bairro Jaboticabal em Passo Fundo<br /><b>Crédito: </b> Marcos Thiago / Rádio Uirapuru / Especial / CP
Crime ocorreu no bairro Jaboticabal em Passo Fundo
Crédito: Marcos Thiago / Rádio Uirapuru / Especial / CP
Crime ocorreu no bairro Jaboticabal em Passo Fundo
Crédito: Marcos Thiago / Rádio Uirapuru / Especial / CP

Uma mulher de 36 anos é suspeita de matar a mãe de 66 anos e esconder o corpo na garagem de casa em Passo Fundo, no Norte do Estado. A idosa teria falecido devido a uma dose excessiva de medicamentos. A filha foi presa na noite dessa segunda-feira no bairro Jaboticabal, periferia da cidade.

A polícia recebeu denúncia de um familiar de que a idosa poderia ter sido assassinada pela filha. A suspeita foi motivada pelo fato da mulher não permitir contato com a vítima desde 21 de dezembro e pelo forte cheiro exalado da casa que fica na rua Ildo Meneghetti, 298. Uma equipe da Polícia Civil foi ao endereço, mas a filha disse que a mãe estava internada na Santa Casa de Porto Alegre.

Um policial telefonou pra o hospital e foi informado de que não havia ninguém internado com o nome da vítima. Depois disso, a mulher passou a dar respostas evasivas e chegou a perguntar se seria presa e se perderia a pensão da mãe. O forte cheiro também denunciava a provável presença de um cadáver em decomposição na casa. Os peritos do Instituto Geral de Perícias (IPG) foram acionados e ao entrarem na residência se depararam com uma cena chocante: na garagem estava o corpo enrolado em um cobertor e em adiantado estado de decomposição.

Os policiais tiveram que pedir reforço de soldados do Pelotão de Operações Especiais (POE) do 3º RPMon da Brigada Militar, pois os moradores queriam linchar a filha. Ela teria admitido ter dado uma dose excessiva de medicamentos à mãe. A mulher foi retirada às pressas do local por soldados do POE, enquanto os vizinhos gritavam: “assassina, assassina”. Ela foi conduzida para a Delegacia de Pronto Atendimento da Polícia Civil, onde teria confessado o crime sem mostrar arrependimento.

A mulher teria alegado que nunca se deu bem com a mãe e que após a morte do pai, há quatro meses, o clima entre as duas teria piorado devido a discussões por causa da pensão deixada pelo falecido. A mulher teria dito ainda que dias atrás a mãe, armada com uma faca, teria tentado matá-la. A filha teria confessado que no dia 21 deu 60 comprimidos de Diazepan moídos com bolacha para a mãe. Ao constatar a morte, ela teria deixado o corpo por mais um dia na cama. Em seguida, teria enrolado o cadáver num cobertor e o deixado na garagem. Há 10 dias, a mulher convivia com o corpo na mãe, já que as duas moravam sozinhas.

A mulher foi autuada em flagrante pelo delegado Adroaldo Schenkel por homicídio doloso – quando há intenção de matar – e ocultação de cadáver. Ela foi recolhida ao Presídio Regional de Passo Fundo.

Bookmark and Share


Fonte: Acácio Silva / Correio do Povo







O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.