Correio do Povo

Porto Alegre, 23 de Abril de 2014


Porto Alegre
Agora
18ºC
Amanhã
13º 23º


Faça sua Busca


Notícias > Internacional

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

31/12/2013 10:10 - Atualizado em 31/12/2013 10:18

Rússia enterra vítimas de atentados e aumenta segurança

Mais de 30 pessoas morreram em dois ataques em Volgogrado

Policial revista turista em praça de Moscou<br /><b>Crédito: </b> Vasily Maximov / AFP / CP
Policial revista turista em praça de Moscou
Crédito: Vasily Maximov / AFP / CP
Policial revista turista em praça de Moscou
Crédito: Vasily Maximov / AFP / CP

A Rússia se prepara para iniciar 2014 com fortes medidas de segurança e com o sepultamento das primeiras vítimas dos dois atentados suicidas que deixaram 33 mortos em Volgogrado, a poucas semanas dos Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi.

Volgogrado começou a enterrar os mortos do atentado de domingo na principal estação de trens da cidade, atribuído pelas autoridades a uma mulher-bomba procedente da região do Daguestão, no Cáucaso Norte.

O presidente russo, Vladimir Putin, que não fez qualquer pronunciamento público depois dos atentados, pode citar os ataques em seu tradicional discurso de Ano-Novo. O Kremlin ordenou na segunda-feira ao serviço antiterrorista um reforço da segurança depois da explosão de um ônibus  elétrico, menos de 24 horas depois do atentado na estação central de Volgogrado, a antiga Stalingrado.

O balanço total dos dois atentados subiu a 33 mortos, anunciou o porta-voz do ministério local de Situações de Emergência, Dmitri Ulanov. "Morreu em um hospital de Volgogrado uma vítima da explosão na estação ferroviária em 29 de dezembro, o que elevou o número de mortos a 18", disse o porta-voz.

O porta-voz informou ainda que o balanço do atentado cometido na segunda-feira contra um ônibus elétrico subiu de 14 para 15 mortos. O balanço anterior era de 31 mortos no total: 17 na explosão de domingo na estação central de trens de Volgogrado e 14 no ataque de segunda-feira contra o ônibus.

O ministério da Saúde informou na segunda-feira à noite que seis feridos estavam em condição crítica e 13 em estado grave. As duas explosões, não reivindicadas, foram atribuídas a suicidas e os investigadores apontaram semelhanças entre os explosivos utilizados, dando força à tese de ataques coordenados. 

Festejos anulados em Volgogrado O Ano Novo é a celebração mais popular na Rússia e o início do período de festas marcado pelo Natal ortodoxo. Milhares de pessoas se reunirão na Praça Vermelha, ao lado do Kremlin, na noite de 31 de dezembro, com medidas de segurança reforçadas, como o aumento das operações nas estradas e a presença de cães farejadores em locais públicos. Em São Petersburgo, a segunda maior cidade do país, as autoridades decidiram cancelar a queima de fogos de artifício depois dos atentados.

Na cidade de Volgogrado, em estado de alerta, foram canceladas todas as festividades por decisão da comissão antiterrorista, enquanto as autoridades da cidade pediram aos moradores que não usem fogos de artifício.
Mais de 4 mil  policiais e oficiais das forças especiais foram mobilizados na cidade, onde 90 pessoas foram interrogadas, segundo a agência oficial Itar-Tass.

Alexander Bortnikov, diretor do serviço secreto, pediu a compreensão dos moradores para as "medidas necessárias". Para analistas, os atentados pretendem criar um clima de terror no país antes dos Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi (7 a 23 de fevereiro).

O líder da rebelião islamita, Doku Umarov, pediu em julho que seus simpatizantes impedissem "por todos os meios" as Olimpíadas. O governo dos Estados Unidos ofereceu ajuda a Moscou para reforçar a segurança do evento esportivo, anunciado como um dos mais caros da história com um orçamento de de 50 bilhões de dólares.
A Rússia não respondeu a proposta de Washington, mas o Kremlin informou que Putin enviou uma mensagem de Ano Novo ao presidente Barack Obama, na qual destaca a intenção de Moscou de "seguir participando no diálogo construtivo e no fortalecimento da confiança e da compreensão" entre os dois países.

Bookmark and Share


Fonte: AFP







O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.