Correio do Povo

Porto Alegre, 24 de Abril de 2014


Porto Alegre
Agora
18ºC
Amanhã
12º 22º


Faça sua Busca


Notícias > Internacional

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

02/01/2014 20:57 - Atualizado em 02/01/2014 21:06

Carro-bomba deixa quatro mortos em Beirute

Atentado é o quarto ataque a reduto do Hezbollah desde julho

Carro-bomba deixa quatro mortos em Beirute<br /><b>Crédito: </b> AFP / CP
Carro-bomba deixa quatro mortos em Beirute
Crédito: AFP / CP
Carro-bomba deixa quatro mortos em Beirute
Crédito: AFP / CP

A explosão de um carro-bomba nos subúrbios da zona Sul de Beirute matou quatro pessoas nesta quarta-feira, no quarto ataque contra este reduto do movimento armado libanês Hezbollah desde julho. O atentado foi criticado pelo Ocidente e pela ONU. O presidente libanês, Michel Sleimane, afirmou que "a mão do terrorismo é a mesma que semeia a morte em todas as regiões libanesas".

O ataque acontece menos de uma semana após o atentado com carro-bomba que matou, em 27 de dezembro, Mohammad Chatah, conselheiro do ex-primeiro-ministro Saad Hariri. Chatah era hostil ao Hezbollah e ao regime sírio de Bashar al-Assad, apoiado militarmente pelo movimento xiita. Desde o envolvimento do Hezbollah na guerra da vizinha Síria, o Líbano vem sendo atingido por uma onda de atentados, e os detratores do grupo o acusam de ter colocado o país nesta situação de violência.

Os ataques exacerbaram as diferenças – já profundas no Líbano – entre simpatizantes e opositores de Assad, assim como as tensões entre os xiitas do Hezbollah e os sunitas, representados pelo ex-premier Saad Hariri.  Segundo a Agência Nacional de Informação Libanesa (ANI), "um veículo 4x4 explodiu na rua muito movimentada de Al-Aarid, no bairro de Haret Hreik", na periferia sul de Beirute.

Possível atentado suicida

O ministro da Saúde, Ali Hassan Khalil, fez um "balanço definitivo" de quatro mortos e 77 feridos. "Há cadáveres que ainda não foram identificados", disse. Segundo o ministro do Interior, Marwan Charbel, a investigação "aponta para a hipótese de um atentado suicida em função da presença de restos mortais no carro".

O Exército libanês anunciou que os investigadores tentam determinar como o veículo, que carregava 20 quilos de explosivos, foi detonado. Na rua atingida pelo ataque, as fachadas dos prédios ficaram destruídas e ao menos cinco carros, queimados.

Uma multidão em pânico tentava escapar do local do atentado, em uma região densamente povoada, enquanto os serviços de emergência abriam caminho. O subúrbio da zona Sul de Beirute - chamado de "mini-Estado" do Hezbollah pelos opositores do grupo xiita - virou uma fortaleza de segurança depois que o primeiro atentado atingiu a região, em julho de 2013. As medidas draconianas de segurança, contudo, não impediram que outros ataques ocorressem no local.

Antes da guerra de 2006, entre Hezbollah e Israel, o setor de Haret Hreik era "o perímetro de segurança" do movimento xiita, o que significa que a região abrigava as principais instituições do partido.

Críticas internacionais

A embaixada dos Estados Unidos em Beirute condenou o atentado "terrorista", chamando o ato de "desumano". O Hezbollah está na lista de "organizações terroristas" de Washington. "Nós condenamos o atentado terrorista de hoje em Dahiyé, em Beirute. Nossas condolências às vítimas e às suas famílias", escreveu a embaixada em seu Twitter.

O embaixador da Grã-Bretanha, Tom Fletcher, também expressou sua "condenação ao ataque desumano em Beirute", acrescentando que "os civis libaneses voltam a ser vítimas" da série de atentados no país.  Paris alertou para que os libaneses "evitem uma escalada da violência", e o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, pediu cautela.
Bookmark and Share

Fonte: AFP







O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.