Porto Alegre, quinta-feira, 27 de Novembro de 2014

  • 03/01/2014
  • 19:32
  • Atualização: 19:33

Governo promete solução para o Central até o fim do ano

Corte Interamericana de Direitos Humanos denunciou más condições de presídio de Porto Alegre

Corte Interamericana de Direitos Humanos denunciou más condições de presídio de Porto Alegre | Foto: Pedro Revillion

Corte Interamericana de Direitos Humanos denunciou más condições de presídio de Porto Alegre | Foto: Pedro Revillion

  • Comentários
  • Correio do Povo

Em resposta à concessão de liminar da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) da Organização dos Estados Americanos (OEA), o governo do Estado publicou uma nota oficial na qual prometeu uma solução para os problemas do Presídio Central, em Porto Alegre. Conforme o Piratini, a atual gestão criará 6.340 vagas no sistema prisional.

“Acabar com a superlotação da casa prisional é uma das principais metas do governo. De 2011 até 2013, foram ocupadas 1.581 novas vagas no regime fechado. Até o final de março deste ano, serão disponibilizadas as 500 novas vagas da Penitenciária Modulada Estadual de Montenegro”, destacou a nota.

O governo ressaltou também o fato de não ter havido homicídios desde o início da gestão e que o número de mortes por problemas de saúde ter registrado queda. “O número de óbitos ainda é considerado elevado e o objetivo do governo é, com o fim gradual da superlotação, preservar ainda mais vidas.”

Quanto à denúncia da CIDH sobre a falta de Plano de Prevenção Contra Incêndios, o governo respondeu que foram instalados hidrantes na área do presídio e extintores em pontos estratégicos.

Bookmark and Share