Porto Alegre, quinta-feira, 18 de Dezembro de 2014

  • 07/01/2014
  • 13:55
  • Atualização: 13:56

Câmara marca para fevereiro análise de cassação de João Paulo Cunha

STF determinou ontem a prisão do deputado no processo do mensalão

  • Comentários
  • Correio do Povo

O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, marcou para o dia 4 de fevereiro uma reunião da Mesa Diretora para analisar a possível cassação do deputado João Paulo Cunha (PT-SP). A Casa ainda aguarda ser notificada da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a determinação do início da execução da pena de prisão pelos crimes de corrupção passiva e peculato no processo do mensalão.

O secretário-geral da Mesa, Mozart Vianna, explica que a Mesa Diretora poderia se reunir extraordinariamente durante o recesso parlamentar. No entanto, se decidisse abrir processo contra João Paulo, a medida ficaria pendente na análise da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania – que não pode se reunir durante o mês de janeiro.

Condenação

João Paulo Cunha foi condenado a nove anos e quatro meses de prisão por lavagem de dinheiro, corrupção passiva e peculato. A execução da pena determinada por Barbosa, no entanto, se refere apenas às punições por corrupção e peculato, que totalizam seis anos e quatro meses de prisão (regime semiaberto). O advogado Alberto Toron, que defende Cunha, disse que o deputado se entregará hoje.

Com informações da Câmara dos Deputados


Bookmark and Share


TAGS » Política, Mensalão